Cruzando fronteiras

O brasileiro FENDAS e o japonês BONECA INFLÁVEL têm suas personagens tentando cruzar fronteiras quânticas e metafísicas

A cor do som

A mostra competitiva do Brasilia International Film Festival está exibindo online, até o dia 26/4, o longa brasileiro FENDAS, de Carlos Segundo (link aqui). É um filme exigente, de trama quase inexistente a nível concreto, mas com uma intensa busca conceitual e estética. Tudo se passa nas bordas entre teoria quântica, memória recalcada e tentativa de recuperar perdas.

Catarina é uma pesquisadora formada na França, que está em Natal (RN) investigando camadas sonoras existentes no interior das imagens filmadas com sua câmera. Ela mergulha no pixel das imagens e consegue ouvir uma outra frequência, cujos sons lhe sugerem algo extremamente perturbador. Uma fenda no espaço-tempo parece se abrir à sua sensibilidade – e ela grita em direção ao mar solicitando que alguém lhe envie um e-mail.

A começar pelo seu gato, uma série de perdas e desaparecimentos talvez expliquem sua ansiedade por encontrar um vínculo em outra dimensão espaço-temporal, uma espécie de “outro do outro”.

A princípio, parece uma especulação absurda e estéril, mas aos poucos o filme vai nos absorvendo na busca enigmática da pesquisadora. Principalmente porque a atriz Roberta Rangel nos magnetiza por completo com uma performance incrivelmente veraz e sensível. Suas longas conversas com o único aluno da disciplina Física da Poiesis – um filho de pescador com vasta erudição – e com uma amiga são planos-sequência fixos de grande bravura interna.

Locações impressionantes da capital potiguar são enquadradas com rigor visual e alto poder sugestivo, enquanto o tratamento sonoro é uma experiência de pura imersão.

Embora não consiga nos conectar claramente com a subjetividade de Catarina, FENDAS desenha uma inquietação metafísica que acaba valendo por si. E revela um diretor cheio de esmero plástico e ousadia intelectual.

O coração não é de plástico

Hirokazu Kore-eda, o cineasta japonês dedicado ao tema das configurações familiares incomuns (adoção, parentescos complicados, situações de orfandade), criou uma variação surpreendente em BONECA INFLÁVEL. O filme está na plataforma de streaming Belas Artes à la Carte com acesso gratuito até o próximo dia 29/4 (link aqui). A fantasia da boneca que “desperta” para a vida e não se contenta em ser um mero acessório sexual de homens solitários tem leves semelhanças com Asas do Desejo, de Wim Wenders, em que um anjo quer experimentar as dores e prazeres de ser um simples humano.

A atriz sul-coreana Doona Bae (que já atuou em dois filmes de Bong Joon-ho, O Hospedeiro e Cão que Ladra não Morde) é Nozomi, a boneca de plástico comprada por um garçom. Depois que toma consciência de sua condição, ela passa a levar uma vida paralela e clandestina enquanto o dono está no trabalho. Emprega-se numa locadora de vídeos (estamos em 2009) e descobre duas coisas importantes: que tem um coração e que os homens também podem ser tão “vazios” por dentro quanto ela.

É onde Kore-eda finca sua crítica ao consumismo, ao medo de envelhecer e à falta de sentido da vida moderna. Vários personagens terciários aparecem em situações definidoras desse vazio existencial e de uma profunda solidão em meio à grande cidade. Enquanto isso, tomada por uma desconhecida alegria, Nozomi vai saboreando o mundo das pessoas de carne e osso. Com o cuidado de não se deixar desinflar.

O diretor conduz essa fábula com grande delicadeza e muitas referências lúdicas, mas também com uma gravidade que se manifesta em vários momentos. Sobretudo no último ato, quando uma paixão leva Nozomi a um ato de ingenuidade criminosa. Nesse ponto, a graciosa leveza de Kore-eda dá lugar a um desfecho funesto que parece herdado de Nagisa Oshima.

3 comentários sobre “Cruzando fronteiras

  1. Estou começando a assistir Fendas……Que ótima oportunidade ter contato com noticias e filmes do Festival Internacional de Brasilia.
    Grata

  2. Boneca Inflavel assisti na plataforma Belas Artes..alias estou consumindo vorazmente vários filmes que são uma raridade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s