Ficção dentro de uma geladeira

HIGH LIFE no streaming

Não se pode negar que Claire Denis é uma realizadora peculiar em sua predileção por subverter expectativas de filmes de gênero. Em seu primeiro exercício de ficção científica e primeiro filme falado em inglês, ela pretendeu especular sobre maternidade, paternidade, redenção e condenação.

HIGH LIFE, roteiro original de Claire e seu frequente colaborador Jean-Pol Fargeau, não se incomoda de soar bizarro aqui, macambúzio ali, inconsistente quase sempre. Numa estranha nave espacial que mais parece um apartamento gigante com estufa de plantas e espaços que nunca se integram visualmente, um homem cuida de sua filha bebê entre corpos de companheiros desfalecidos. Monte (Robert Pattinson) é um dos criminosos que trocaram o corredor da morte por participar dessa viagem espacial em busca de extrair energia de um buraco negro. Eles desconfiam de que nunca mais voltarão à Terra, mas podem em troca se transformar em heróis da Humanidade.

A narrativa retroage para mostrar como Monte e sua filhinha chegaram até ali. Conhecemos, então, seus companheiros de viagem, entre os quais uma médica condenada por filicídio (Juliette Binoche), que conduz experiências de inseminação artificial dentro da nave a fim de obter uma criança saudável que a redima. Mais não convém contar para não estragar as insólitas – e frequentemente bisonhas – surpresas que virão. Basta dizer que um erotismo psicótico inclui estupro e leva Binoche, com uma cabeleira de Medusa, a protagonizar uma das mais esdrúxulas cenas de sexo solitário da história do cinema.

O filme parece se passar dentro de uma grande geladeira. Imagens bonitas porém frias se sucedem ao som de um constante hummm. O estilo gélido, característico da diretora, é por vezes quebrado por irrupções de violência e muito sangue e esperma, como que para cumprir ao menos um dos mandamentos da ficção científica mais cruenta. Desse balanço entre aspereza, algidez e escatologia nasceu um filme mais obscuro que ousado.

High Life está nas plataformas Now, GooglePlay, Looke e iTunes

3 comentários sobre “Ficção dentro de uma geladeira

  1. O filme tem cenas de grande estranhamento, uma ficção naquela nave retrô. Juliette parece mesmo uma medusa sem qualquer escrúpulo. Mas gostei do filme.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s