Nelson, enfim

Tags

,

Em 2012 fui convidado por pessoas ligadas à Universidade Federal do Ceará para escrever um texto sobre a obra de Nelson Pereira dos Santos. Sairia num livro dedicado à participação de grandes artistas brasileiros na gestação de uma ideia de nacionalidade. Nelson estaria representando o cinema.

Revi então toda a obra disponível do diretor, procurando detectar como seus filmes encenam e discutem a identidade brasileira através de diversas perspectivas: a formação étnica, o uso da língua, a mística religiosa, a dialética entre conformismo e revolta, o papel da cultura e sobretudo da música popular, as relações com pensadores do Brasil na literatura e nas ciências sociais. Ficava claro que Nelson Pereira dos Santos constituía-se, ele também, num pesador do país através do cinema.

O texto foi entregue com o título “Em Busca das Imagens do Povo”, mas o livro não viria a ser editado. Em 2013, chamado pelo Itaú Cultural para fazer a curadoria da Ocupação Nelson Pereira dos Santos, pensei em publicá-lo no contexto do evento. As ideias ali contidas seriam o mote da curadoria, que visava oferecer ao visitante da exposição uma pequena viagem por esse Brasil de Nelson. Mais uma vez, porém, o texto teimava em permanecer inédito. Divergências entre o cineasta e a minha proposta curatorial determinaram outro rumo para a Ocupação.

Agora, dois anos depois de sua primeira versão e devidamente atualizado, o ensaio é finalmente publicado na revista eletrônica Portfolio nº 3, editada por Marília Martins para a Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Se tiver interesse na leitura, acesse o link abaixo:

Nelson Pereira dos Santos: Em Busca das Imagens do Povo

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.819 outros seguidores