O assustador e o corriqueiro

Sobre CORRA! e MÁS NOTÍCIAS PARA O SR. MARS – A falácia, muito comum nos EUA como no Brasil, de que empregados domésticos são tratados como “gente da família” ganha uma versão envenenada no thriller CORRA! (Get Out), de Jordan Peele, um dos autores mais peculiares do canal Comedy Central. A situação inicial se assemelha…

Banksy e a política do grafite

A Sessão Philos desta terça, 16, (21h no Net Rio) vai exibir e debater o documentário BANKSY OCUPA NOVA YORK, de 2014. No ano anterior, o enigmático e genial Banksy (artista individual? Coletivo? Empresa? Organização?) fez uma residência de um mês em NY. A cada dia, uma obra sua aparecia de surpresa em algum ponto…

Compaixão e vingança em ‘slow cinema’

Se fosse dirigir um videoclipe, o diretor filipino Lav Diaz podia escolher “The Devil Gltich”, de Chris Butler, que dura 68 minutos e é considerada a canção pop mais comprida do mundo. Em seus longas, a duração de oito a nove horas não é incomum. A MULHER QUE SE FOI, Leão de Ouro em Veneza…

Viagem pelo experimental argentino

Se você está em São Paulo, esqueça por uns dias Darín, Campanella, Lucrecia e tudo o que compõe uma ideia dominante do cinema argentino atualmente. Mergulhe no cinema experimental de Claudio Caldini, Jorge Honik e Narcisa Hirsch, que estrelam a mostra Cine Sin Limites, iniciada ontem (quinta) no Centro Cultural São Paulo. O trio começou…

Mães e filhos

Sobre ÉDEN e MELHORES AMIGOS – Dos filmes de Bruno Safadi considero ÉDEN o mais bem sucedido. Com uma concisão admirável e uma incrível harmonia de recursos cênicos, ele narra um pequeno conto de maternidade em ambiente de histeria evangélica. Leandra Leal está grávida quando perde o marido vítima de um crime. Seu caminho de…

Atores em estado de vida

Sobre VERMELHO RUSSO e O NOVATO, dois ótimos filmes marcados por atuações muito próximas da vida Com seu jeito descontraído, vagueando entre a encenação ficcional e o improviso documental, VERMELHO RUSSO faz uma ponte interessante entre o Sistema Stanislavski de representação e o hibridismo do cinema contemporâneo. Em ambos os processos, trata-se de aproximar atuação…

O velho e os novos

Sobre os documentários MAIS DO QUE EU POSSA ME RECONHECER e O GRANDE DIA  Depois do belíssimo “Esse Amor que nos Consome”, Allan Ribeiro confirma a sensibilidade para o documentário intimista com MAIS DO QUE EU POSSA ME RECONHECER, que estreou hoje em sessão única diária às 18h10 no Estação Net Rio. O filme é…

Fortaleza anarquista

COM OS PUNHOS CERRADOS (2014) é mais uma travessura dos irmãos Luiz e Ricardo Pretti, junto com o primo Pedro Diógenes. Quando o vi na Semana dos Realizadores de 2014, pareceu-me o primeiro longa-manifesto do neo-anarquismo trendy. Ou o segundo, se incluirmos “Riocorrente”, de Paulo Sacramento, nessa mesma correnteza. Os três diretores-atores fazem um trio de…

É Tudo Verdade: Mexeu com Uma, Mexeu com Todas

O assunto está fervendo no movimento feminista, nos coletivos de arte política, nas manifestações de rua, nos corredores da Globo e – por que não? – no cinema. A Mostra do Filme Livre exibiu o curta O Mais Barulhento Silêncio, de Marccela Moreno, com atrizes performando relatos de mulheres vítimas de estupro. No É Tudo…