Filme-noite de raras luzes

Em poucos minutos, o autor de LAMPARINA DA AURORA já nos situa plenamente dentro do seu universo: a família, a sensualidade deslocada do seu lugar habitual, os líquidos corporais, os silêncios e as sombras do mistério.

O arroto do leão

Em O ANIMAL CORDIAL, Gabriela Amaral Almeida põe em cena alegorias de um Brasil que se dilacera e se autodevora no altar do consumo, da exploração e de um machismo transformado em política.

Sylvio Back, 80 anos

Sylvio Back completou em julho 80 anos de idade e 60 de cinema. Com isso, vem mais uma oportunidade de se reconhecer o seu valor. Uma retrospectiva com seus 12 longas-metragens está correndo cinemas e cinematecas. É a mostra “Sylvio Back 8.0 – Filmes noutra Margem”.

A Europa está doente

O português COLO e o francês A TRAMA dramatizam a crise econômica e política da Europa refletida nas instâncias da família e do indivíduo

Super Al Gore

Em UMA VERDADE MAIS INCONVENIENTE, Al Gore parece onipresente. Com uma oratória afiada e carisma, arrebanha simpatizantes, como um pastor numa cruzada religiosa. Texto de Paulo Lima.

Finlândia, longe do paraíso

Mais uma vez lidando com imigrantes, em O OUTRO LADO DA ESPERANÇA Kaurismäki usa o humor e tematiza a compaixão, mas não esconde que a esperança é uma ilusão e a intolerância, uma lâmina afiada.

Açúcar amargo

AÇÚCAR, novo filme de Renata Pinheiro e Sérgio Oliveira, mescla gêneros para tratar da herança escravocrata na Zona da Mata pernambucana.

Close no povo da cana

Documentário sobre um sindicato rural, MODO DE PRODUÇÃO nos aproxima com muita eficácia de um microcosmo da realidade brasileira profunda, em que relações de exploração e de ignorância se perpetuam desde a época colonial.

Caçadas humanas

DESERTO e TERRA SELVAGEM. Dois cenários inóspitos: o deserto da Califórnia e os campos nevados do Wyoming no inverno. Dois caçadores, um do Mal, outro do Bem. Duas visões maniqueístas da questão social: a violência contra os imigrantes clandestinos e contra a mulher indígena. Dois filmes que trabalham a herança do western com resultados decepcionantes.…

A segunda vida de Gabriel

GABRIEL E A MONTANHA, detentor do Prêmio de Revelação na Semana da Crítica de Cannes, transpira entusiasmo, sem nunca assemelhar-se a uma obra de luto. A aventura cinematográfica ali contida é de uma envergadura rara no cinema brasileiro.