Paraíso tropical a explorar

SÃO MIGUEL DO GOSTOSO
de Eugenio Puppo

Para contar a transformação do município de São Miguel do Gostoso, no litoral do Rio Grande do Norte, de pacata aldeia de pescadores em movimentado point turístico, Eugenio Puppo adota um método francamente expositivo. Não apenas por basear-se em depoimentos diretos de velhos e jovens moradores, empreendedores estrangeiros e detentores de conhecimento histórico, mas principalmente por manter esses pontos-de-vista estanques no bojo da narrativa. Não há a intenção de confrontá-los nem produzir sentidos da sua interrelação além das óbvias conclusões: os estrangeiros descobriram o lugar, compraram terras a preço de banana, aproveitaram-se de uma legilação leniente e, para o bem e para o mal, mudaram a cara do lugar.

O filme se divide entre duas condutas: expor as transformações e tirar proveito da beleza vasta e limpa da região. Abundam as paisagens de tirar o fôlego. Nesse sentido, por se tratar de projeto de um realizador paulista, é como se fosse mais um empreendimento “estrangeiro” a explorar o potencial de Gostoso. Trata-se aqui de uma exploração cultural, é claro, que não polui nem destrói. Mas a linearidade do filme e seu cuidado em não tomar partido traem um desejo de ver e mostrar, sem problematizar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s