Close no povo da cana

Documentário sobre um sindicato rural, MODO DE PRODUÇÃO nos aproxima com muita eficácia de um microcosmo da realidade brasileira profunda, em que relações de exploração e de ignorância se perpetuam desde a época colonial.

Antonio Callado em viva voz

Callado era um homem de letras e de jornal impresso, o que impregna a matéria do filme. A diversidade e franqueza dos depoimentos complementam o perfil de um homem que, para vergonha de tantos jornalistas de hoje, nunca se calou.

Festival do Rio: Encriptado

Esse documentário canadense é um dossiê pormenorizado sobre a disputa do território digital pelos governos e pelo midiativismo independente. Disputa que é não somente de narrativas, mas também tecnológica.

Festival do Rio: Até o Próximo Domingo

ATÉ O PRÓXIMO DOMINGO é um dos mais radicais experimentos de Evaldo Mocarzel na sua já longa viagem pela fronteira entre documentário e teatro. Enquanto a peça “Luís Antonio Gabriela” é um sucesso na vertente do teatro-documentário, o filme pode ser chamado de um documentário-teatro.

Festival do Rio: Los Territorios

O filme de Iván Granovsky se filia a uma escola de documentários latino-americanos autorreflexivos e auto-ironizantes, que frequentemente se referem ao próprio fracasso de suas intenções e procuram desmontar os cânones da verdade documental.

Festival do Rio: Pastor Cláudio

A forma serena, inquisitiva e às vezes perplexa com que Eduardo Passos se dirige ao antigo carrasco representa perfeitamente o olhar do espectador perante o hediondo. O lobo agora em pele de cordeiro, com a Bíblia nas mãos, é um retrato da impunidade em que deslizam até hoje os açougueiros da ditadura.

Festival do Rio: Dina

DINA pode bem ser assistido como um filme de Wes Anderson ou um Todd Solondz light. Personagens fora do comum em ambiente suburbano, levando a vida a meio caminho entre a tragédia e a ternura. A diferença é que Dina Buno e Scott Levin existem de verdade na periferia da Filadélfia.

Festival do Rio: Conversa Fiada

A sinopse de CONVERSA FIADA anuncia uma situação bizarra: filha faz um filme sobre sua mãe para questioná-la sobre o fato de ser lésbica e não dar mostras de amor materno. Mas o que se revela na tela é um delicado exercício de compreensão do outro.