Punk de esquerda? “As Faces do Mao”

Num pequeno palco, perante uma plateia ensandecida, um homem maduro e corpulento urra ao microfone a música Garoto Podre. Um corte seco e vemos esse mesmo homem comportadamente sentado numa cátedra universitária discorrendo sobre o modelo chinês de socialismo. Algumas sequências adiante, lá está ele falando a sindicalistas sobre solidariedade entre os trabalhadores. Afinal, quem é ou quantos são esses homens?

Há duas formas de saber a resposta. Uma é aguardar o lançamento do documentário As Faces do Mao, exibido na recente Mostra de Cinema de Tiradentes. Outra, mais imediata, é assistir à Live do Conde neste sábado (12/2), às 22 horas. Junto com o titular Gustavo Conde, eu também vou ajudar a entrevistar Mao e os diretores do filme, Dellani Lima e Lucas Barbi. A conversa vai rolar no canal do Conde no link do Youtube lá embaixo e também nos canais da Rede TVT e do Grupo Prerrogativas. Vamos mostrar vários trechos do filme.

Mas, enfim, quem é Mao?

Seu nome é José Rodrigues Mao Júnior, professor de História, militante sindical e vocalista da banda punk Garotos Podres, surgida no ABC paulista em 1982. Punk de esquerda, sim senhor, com muito orgulho. Depois de um racha por conta de divergências políticas, venceu a ala “maoísta”, e hoje todos os componentes rezam pela mesma cartilha antifascista. Camisas de Lula Livre e bonés do MST integravam o figurino do grupo à época das filmagens.

Mao conjuga suas três faces de maneira descontraída e divertida. O filme de Dellani  e Lucas poderia ter ido mais fundo na investigação de como isso se dá na intimidade do personagem, mas de qualquer forma o perfil está delineado com boas linhas gerais. Ex-servidor público e filiado ao PT, doutor em História pela USP, Mao faz da música um grito contra a direita conservadora. Suas versões punk da Internacional, de Bella Ciao e de Grândola Vila Morena são impagáveis.

As Faces do Mao nos aproxima de uma figura carismática e ao mesmo tempo muito desafetada. E abre uma janela sobre o punk do ABC, terreno onde o heavy metal e os metalúrgicos possuem algo em comum.

 

Um comentário sobre “Punk de esquerda? “As Faces do Mao”

  1. Pingback: Dellani Lima, cineasta (realmente) independente | carmattos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s