Fantasmas de Lódz, um vídeo

Há 13 anos visitei a Polônia, terra do meu pai. Não fui movido por nenhum motivo particular, mas pela curiosidade em relação a um país que passou por tantas encruzilhadas difíceis no século XX e cuja identidade nacional é marcada por um misto de alegria e dores profundas. Conheci os campos de Auschwitz e Birkenau, e diversas cidades, entre as quais Varsóvia, Cracóvia, Gdansk, Lódz e Wroclaw, cada uma com sua personalidade bem particular. Mas uma delas me deixou uma impressão mais marcante, diria mesmo singular.

Lódz (pronuncia-se Woodj) era então apenas uma sombra cinzenta da grande potência  industrial do século XIX. Do antigo pólo de indústria têxtil do Império Russo viam-se somente as ruínas das imensas fábricas, com suas janelas de vidro destroçadas e pinturas de fachadas descoloridas pelo tempo e o abandono. A decadência da cidade, acentuada com o fim do comunismo, se refletia também nas ruas vazias, nos prédios desabitados e na estranha maneira dos poucos transeuntes se moverem pela cidade como autômatos.

Toda essa atmosfera me sugeriu o título Fantasmas de Lódz para o vídeo que editei com as imagens lá gravadas. São avenidas ermas, velhas fábricas, igrejas muito frequentadas (estamos no país mais católico do mundo), o suntuoso Palácio Poznanski, símbolo da era de fausto, a belíssima Avenida Piotrkovska (foto no alto) e a calçada da fama do cinema polonês. Lódz abriga a célebre escola de cinema que formou Andrzej Wajda, Roman Polanski, Krzysztof Kieślowski, Zbigniew Rybczyński, etc.

Bem a propósito, inseri cenas de A Terra Prometida, de Wajda, para ilustrar os interiores do Palácio Poznanski e do atual Museu do Cinema, que não pude visitar por estarem em reforma, assim como da fábrica de tecidos Poznanski nos tempos de plena produção. Das trilhas sonoras de Wojciech Kilar roubei duas composições – de A Terra Prometida Sorte Cega, de Kieslowski, além de uma peça clássica de Andrzej Panufnik.

As imagens são do tempo do MiniDV, sem alta definição. Então deem um desconto para a baixa qualidade e a inexperiência do montador. Tentem ver através (ou apesar) do vídeo.

8 comentários sobre “Fantasmas de Lódz, um vídeo

  1. Adorei viajar por Lódz com vc e Roseane, cidade que uma cinefila como eu adoraria conhecer, e o fiz sem sair de casa! No inicio cenas que me lembraram o final de O Eclipse, até no ritmo …uma cidade que foi ganhando vida com as crianças (iguais em toda parte, me se parece) e a natureza..Só no ultimo terço uma modernidade tímida. Trilha tão bem adaptada.
    Agradeço me despertar tantas lembranças, uma quero partilhar : se não me engano, vi no Festival Internacional do Rio de Janeiro em 1965 Jersy Kawalerovic (?!) apresentando o seu “Madre Joana dos Anjos”.
    Vou aos poucos visitar seu Travelogue indicado acima.

  2. Mais uma confirmação de que você é meu cineasta/fotógrafo/viajante/diretor musical/antropólogo/historiador favorito, tudo compactado num único ser de olhar ímpar.

  3. gostei do video, queria ver os outros e nao achei nas pesquisas. vc poderia me dar referencia dos outros videoa da polonia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s