Istambul em transe

FANTASMAS no streaming

Espécie de atestado de contemporaneidade do cinema turco, Fantasmas (Hayaletler) mostra um dia na vida de quarteirões antigos de Istambul – precisamente o dia 26 de outubro de 2020, citado ficcionalmente mas filmado com urgência de documentário. O bairro está sendo gentrificado. Um pilantra (Emrah Ozdemir) abala as estruturas de velhos casarões abandonados para precipitar sua demolição e ceder lugar à especulação imobiliária, anunciada como “A Moderna Turquia”.

Esse é um dos três personagens em torno dos quais gira o primeiro longa da diretora Azra Deniz Okyay. Os outros são a jovem Didem (Dilayda Günes), demitida do emprego e interessada em disputar um concurso de dança; e a madura Iffet (Nalan Kuruçim), operária desesperada para conseguir dinheiro com que ajudar o filho na prisão. Comutando entre um e outro desses três núcleos, o filme oferece um pequeno painel da situação social nas franjas da maior cidade turca.

Um sistema municipal corrupto favorece clandestinamente os grandes empreendimentos. Imigrantes sírios são explorados por turcos sem escrúpulos. A polícia reprime seguidamente os jovens que utilizam as velhas casas abandonadas para suas atividades festivas e culturais. As rádios dão conta de uma atmosfera de violência, saques e motins facilitados pelos apagões que afetam a cidade. Há uma sensação constante de perseguição enfrentada por meninas feministas em protestos de rua, por jovens LGBT e pela garotada que teima em não abandonar seus derradeiros territórios de ocupação.

Lá está também a batalha cotidiana numa sociedade moderna na superfície, mas conservadora nos princípios. Uma cena exemplifica bem essas contradições: Didem é admoestada por policiais porque estava dançando numa propriedade arruinada e, logo em seguida, repreende uma garota menor por estar usando batom.

Fantasmas (des)organiza essa trama multiplot com liberdade, tratando o tempo de maneira maleável e exigindo do espectador uma atenção especial. O trabalho de câmera é um destaque óbvio pela visceralidade e agilidade com que capta as ações e diálogos. Em vários momentos, a arquitetura da cidade tem tanto peso quanto os personagens. Afinal, Fantasmas é tanto sobre gente quanto sobre os espaços de vivência e fabulação.

>> Fantasmas está na plataforma Filmicca.

Trailer legendado em inglês:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s