Cinema em cartaz

Diversão de domingo:

Meus amigos conhecem minha mania de colecionar cartões postais de cinema. Tenho mesmo alguns “correspondentes” que se encarregam de coletar cartões em festivais no exterior. Entre eles, Vivian Ostrowsky, José Carlos Avellar, Marcos Magalhães, Myrna e Carlos Brandão. Antigamente colecionava posters grandes, mas a falta de espaço e de condições adequadas de armazenamento me fez optar exclusivamente pelos postais. E só mesmo os que reproduzem cartazes de filmes e de eventos cinematográficos. Nunca contei, mas acredito ter em torno de 5.000 postais hoje em dia.  

Aprecio os cartões não só pela referência ao cinema, mas também pela arte gráfica, os diferentes estilos, a procura de um diálogo entre a visualidade do poster e o espírito do filme. E mesmo as distintas leituras de um filme em países diferentes. Um dia ainda penso o que fazer com a coleção: um estudo? Um livro? Uma exposição? 

Gosto também de navegar por sites que contêm coleções de cartazes de cinema digitalizados. Como o espanhol Carteles de Cine, os americanos FilmPosters.com e MoviePoster.com, o francês Affiches de Cinéma e o inglês The Reel Poster Gallery

Recentemente conheci mais um endereço que foi direto para minha lista de favoritos. E dessa vez as estrelas são os filmes brasileiros. A Cinemateca Brasileira tem no seu site uma fantástica coleção de cartazes digitalizados. São cerca de 2.000 peças das 3.000 de seu acervo físico. Os cartazes estão identificados por autor e técnicas empregadas, além de relacionados a outras informações da base de dados da cinemateca. Dá gosto “folhear” o cinema brasileiro por essa variante um tanto negligenciada.

6 comentários sobre “Cinema em cartaz

  1. Boa tarde,
    Estou fazendo uma´pesquisa sobre como conservar cartazes de cinema? Qual a lâmpada ideal para expô-los sem queimá-los, como guardá-los e como expô-los de forma a preservar o cartaz?
    Agradeço se puderes me ajudar.
    Obrigada

    • Nana, aqui vai uma dica da especialista Simone Albertino:

      “A Fundação Oswaldo Cruz disponibiliza online uma apostilinha bem legal, com noçôes básicas de preservação preventiva de documentos. São informações sobre luz, temperatura, acondicionamento (no caso dos cartazes, eu aconselho que eles fiquem abertos e na horizontal, de preferência numa mapoteca), higienização etc., tudo relacionado a papéis. Tem até bibliografia. Acho que pode ajudar bastante a sua leitura. Aí vai o link: http://www.bibmanguinhos.cict.fiocruz.br/normasconservacao.pdf

  2. Muito boa a dica deste site da cinemateca com os cartazes. Os humorísticos do Ziraldo eram brilhantes (como o de “Toda Donzela tem um Pai que é uma Fera”, logo na primeira página) e muitas vezes melhores do que os filmes. Se não gosto tanto do que ele fez para “Os Fuzis”, a página de jornal para “Assalto ao Trem Pagador” foi inteligentíssimo. Coincidência (?) com o de “Ace in the Hole” (ou “Big Carnival”), aqui “A Montanha dos Sete Abiutres” do Billy Wilder (pelo menos o que está na capa do DVD da Criterion). O já clássico de “Deus e o Diabo” é uma obra-prima de época mas que não perde a força. Do mesmo Rogério Duarte, també ótimo o de “A Grande Cidade” ambos do Rogério Duarte. Os doi “Cinema Novo” geralmente não faziam feio mesmo, olha só o de “Vidas Secas”. O de “Noite Vazia” tem um detalhe que sugere cópia do boneco de Saul Bass para “Anatomia de um Crime”. Os antigões pré-Cinema Novo só como nostalgia e memória. Grande diversão!

  3. Sem querer, você me deu uma pauta muito legal: pessoas que colecionam coisas. Eu já colecionei selos na infância.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s