Milagre em Recife

O ator Andres Schaffer no papel do repórter argentino

Os recifenses costumam dizer que sua cidade só conhece duas estações: verão e inferno. Mesmo no período chuvoso, entre abril e agosto, o calor não dá tréguas. Foi nessa época do ano, quando a fornalha se cobre de nuvens e adquire tons de cinza, que Kleber Mendonça Filho filmou seu novo e maravilhoso curta, Recife Frio. Algumas cenas foram rodadas em Gramado e na África do Sul. Inserções cenográficas e de figurinos, um tratamento sutil na finalização das imagens e um roteiro sugestivo completam as condições para esse fino exercício de sátira social através da ficção científica. 

Um meteorito cai sobre a cidade e provoca uma inversão térmica brutal. A população se encasaca, as pousadas turísticas se esvaziam, os artesãos têm que rever sua estética, os repentistas precisam lidar com novas rimas. Somos informados do fenômeno através de uma falsa reportagem da TV argentina, em espanhol. O repórter narra em tons dramáticos as diversas manifestações dessa nova e inusitada Recife, onde cada um tenta se aquecer como pode. Um dos quadros mostra, à luz de GilbertoFreyre, o que acontece quando uma família da alta classe média resolve trocar a suíte pelo quarto de empregada, tradicionalmente o cômodo mais abafado da casa.

Recife Frio é mais uma mostra da capacidade de invenção e de comunicação de Kleber Mendonça Filho. Como em A Menina do Algodão e Vinil Verde, ele trabalha entre o carinho e a ironia para com os gêneros cinematográficos. Neste caso, o mockumentary, ou pseudo-documentário. Como em Eletrodoméstica, associa a sátira de comportamentos a uma leitura crítica e mordaz da sociedade. Recife Frio é um comentário hilariante sobre hábitos urbanos, práticas culturais, discursos oficiais e demagogias sociais. Sem deixar de lado a adoção de pinguins via internet.

Mesmo para quem não conhece as vicissitudes da capital pernambucana, ou não percebe em toda sua extensão a bela homenagem final a Lia de Itamaracá e ao clássico neo-realista Milagre em Milão, o filme tem apelo imediato e ressonância em qualquer um. Não há reação possível que não o aplauso e o reconhecimento de que estamos diante de uma nova obra-prima do cinema brasileiro. Desde Ilha das Flores, eu não via tanta inteligência reunida num curta.

Recife Frio ganhou sete prêmios no último Festival de Brasília (entre eles, direção, júri popular e júri da crítica) e os de melhor curta para os júris oficial e popular no Festival de Santa Maria da Feira, em Portugal. Assisti na pré-estreia pernambucana, no cinema da Fundaj, onde há anos Kleber é programador. Como todos os presentes, saí em estado de graça. Isso é apenas o começo da trajetória dessa comédia crítica absolutamente irresistível.      

Um comentário sobre “Milagre em Recife

  1. Foi em Recife neste fim do ano. Foi incrível. Gostei muitíssimo, sobretudo porque foi a minha primeira vez no Brasil, visto que eu moro na Italia. Muito obrigado pelo calor que o povo brasileiro mostrou-me.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s