Duas maravilhas de Abu Dhabi

Um vídeo da minha visita ao Louvre Abu Dhabi e à Grande Mesquita do Sheik Zayed

Quando se fala em Emirados Árabes Unidos, pensa-se logo – e somente – em Dubai, com suas avenidas e prédios de ficção científica, seus shopping centers colossais e sua extensão urbana em forma de “palmeira” que avança pelo Golfo Pérsico. Mas existem muitos atrativos do gênero também no emirado de Abu Dhabi, a capital do país.

Por lá se estende a mesma imagem de uma Arábia luxuosa e ultramoderna na aparência, apesar da persistência do autoritarismo dinástico no funcionamento da sociedade, das profundíssimas desigualdades sociais e do desrespeito aos direitos humanos. A arquitetura é estonteante, os velhos mercados foram absorvidos pelos malls impecáveis e a riqueza pode ser servida na forma de ouro junto com o seu café. Com a vantagem adicional de ter o deserto ali perto para passeios das mil e uma noites (veja meu vídeo de uma dessas escapadas)

Para ter uma ideia geral, visite meu álbum de fotos de Abu Dhabi.

No vídeo que editei recentemente (veja abaixo), destaquei duas maravilhas arquitetônicas de Abu Dhabi, cidade enriquecida primeiro com o comércio de pérolas, depois com o petróleo. O Louvre Abu Dhabi e a Grande Mesquita do Sheik Zayed são lugares deslumbrantes.

Se o dinheiro pode comprar tudo, pode comprar também a primeira franquia do Louvre pela bagatela de 400 milhões de euros. O Louvre Abu Dhabi levou dez anos para ser planejado e construído numa península chamada Sadyat (Felicidade), com projeto do francês Jean Nouvel.

Visitei-o em dezembro de 2017, um mês depois da inauguração. Já à distância impressiona a imensa cúpula de aço, composta por cerca de 8 mil estrelas entremeadas. Por dentro do lobby gigantesco, a cúpula deixa passar pequenas ilhas de luz natural e se abre em varandas para o mar, dando a sensação de estarmos numa embarcação toda branca e luminosa.

Nas 23 galerias internas, o acervo demonstrava o que o museu pretende ser: uma vitrine da história da arte global. Havia obras do Louvre e de outros museus franceses, assim como itens já adquiridos pelo de Abu Dhabi. Artes ocidental e oriental ficavam lado a lado, distribuídas em ordem cronológica. De Picasso a Ai Wei Wei, da escultura grega aos primórdios do cinema, via-se um pouco de tudo. No fim das contas, restava a impressão de um grande portfólio ostentatório. Uma afirmação do tipo: podemos trazer para cá tudo o que quisermos.

Já a Grande Mesquita do Sheik Zayed, situada na periferia da cidade, é uma das construções mais suntuosas que já visitei, mas de uma suntuosidade suave e elegante, quase comparável ao Taj Mahal. Por fora, é toda alva e diáfana sob o céu sempre azul dos Emirados, com quatro minaretes e 80 cúpulas desenhando-se no espaço. Por dentro, tem um amplo pátio de mármore cercado de colunatas decoradas com motivos florais e capitéis dourados. Passando por um vestíbulo também decorado do chão ao teto com mármores coloridos em relevo reproduzindo os jardins suspensos do paraíso descritos no Alcorão, chegamos finalmente à nave principal, que só pode ser vista de  dois determinados pontos. É o suficiente para extasiar os olhares.

O chão é coberto por um imenso tapete inconsútil (tido como o mais extenso do mundo), as mil arcadas de mármore se abrem em tons brandos e ricamente decorados com as flores, ramas e estrelas típicas do estilo islâmico. Os lustres são um espetáculo à parte, cravejados de cristais Swarovski, pedras semi preciosas, prata e outros materiais nobres.

A mesquita foi batizada em homenagem ao sheik Zayed Bin Sultan Al Nahyan, fundador dos Emirados Árabes Unidos. Tudo o que é grande no país leva seu nome. Só perde mesmo para Alá, que, afinal, tem 99 nomes.

O vídeo dura 15 minutos:

 

6 comentários sobre “Duas maravilhas de Abu Dhabi

  1. Quarentenada, , nada como viajar com vocês dois, ainda mais para esse lugar tão incrível, inesperado e de surpreendente bom gosto, em minha opinião! Bem filmado, bem montado, me deu muito prazer! Obrigada Carlinhos, abraço saudoso da Vavy

  2. Caramba, não sei dizer o que é mais incrível nesse vídeo. Fiquei fascinada pelo Louvre, essa espaçonave fantástica que aterrissou numa península chamada felicidade! Como sempre, viajo com vocês e não poderia sonhar com melhores companhias. Hoje, de quebra, aprendi o que é inconsútil (sim, confesso a ignorância, mas reivindico a meu favor o fato de ir ao dicionário aprender).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s