Mal-vindos ao talibã tropical

Essa derrota não é minha, não é do PT, nem tampouco da esquerda e da centro-esquerda. É uma derrota do brasil como nação perante as outras nações e perante seus próprios sonhos.

Pela democracia

Manifesto-convocação, do qual fui um dos signatários, para o grande ato em defesa da democracia na próxima terça-feira, 23/10, a partir das 17h, nos Arcos da Lapa, Rio de Janeiro. 

O voto mais decisivo

O país está mergulhado numa onda de ignorância, manipulações e ressentimento que não pode nos levar a bom termo. Precisamos, portanto, prestigiar o campo democrático e progressista o quanto antes, sob pena de ser tarde demais.

Alinhando Lula Livre

Publicado originalmente na coluna de Marcelo Laffitte no jornal eletrônico Brasil 247, esse texto reúne um comentário meu e um do próprio autor, o cineasta Laffitte, sobre seu curtíssimo em vídeo “Alinhando Lula Livre” A crítica, por Carlos Alberto Mattos Esse pequeno vídeo [abaixo] de menos de três minutos integra diversos valores simbólicos presentes nas…

O golpe no cinema

O PROCESSO chega às telas depois de premiações e pré-estreias ruidosas. Além dele, nove documentários já mostraram ou estão prestes a revelar outros ângulos do golpe de 2016.

Manifesto “A democracia corrompida”

Este Manifesto surgiu da preocupação de diretores, atores, técnicos e críticos de cinema com os graves riscos que a Democracia Brasileira está enfrentando frente à judicialização da política, o desrespeito à Constituição de 1988 e o crescimento de movimentos e manifestações autoritárias, violentas e intolerantes.

Cinema de ocupação

ERA O HOTEL CAMBRIDGE é uma experiência rara no cinema brasileiro contemporâneo. Avança várias casas em relação a longas documentais já em si reveladores sobre o funcionamento das ocupações de moradia em São Paulo, como “À Margem do Concreto”, de Evaldo Mocarzel, e “Dia de Festa”, de Toni Venturi. Em seu melhor filme até hoje,…

O cinema redescobre a política na terra de “Aquarius”

AQUARIUS está sendo lançado na Espanha (como “Doña Clara”) e a revista Caimán Cuadernos de Cine publicou em sua edição de março um dossiê sobre o cinema brasileiro a partir da perspectiva do filme de Kleber Mendonça Filho. Como a revista não está disponível online, publico aqui a versão original do artigo que escrevi especialmente…

Bem-vindos ao Brasil-Cunha!

Não quero nem aceito ser parte desse Brasil-Cunha horrendo, nem mesmo como parte vitimada. E a única forma de que disponho para isso é ser o menos brasileiro possível. Renunciar a toda a noção de pertencimento nacional e me declarar uma espécie de apátrida espiritual.

Clara contra as escuridões

Se “O Som ao Redor”, centrado principalmente na relação entre o “coronel” urbano e o chefe da segurança, era um filme predominantemente masculino e, de certa forma, uma obra coral de múltiplas interveniências, “Aquarius” é um filme de eixo feminino bem definido, uma vez que todas as relações se estabelecem com Clara (Sonia Braga), e só através dela o filme se constrói.

A arte de amar cinema sem amar filmes

O colega crítico Marcelo Lyra deu-se ao trabalho de ler o livro Quando o Caso É de Cinema, a Paixão é um Festival, de Alfredo Bertini, atual Secretário do Audiovisual do MinC golpista. Mais que isso, ele ofereceu uma análise perspicaz e circunstanciada das ideias constrangedoras de Bertini a respeito do cinema, quem sabe agora…