O Dogma Hemp

HempCom 800 reais e a little help from his friends, Cid César fez um doc de longa metragem. Para pagar as despesas, vendeu camisetas como essa à direita. Um único dia de filmagem, apenas 4h20 de material bruto. A câmera na mão do bamba Alberto Bellezia, o som a cargo de Leandro Lima (Tropa de Elite).  Sem luzes artificiais, sem narração off, sem argumento, sem pauta. Não mais que um dia na vida de Guilherme de Souza, o Hemp, misto de pintor, ambientalista, ermitão e militante da legalização da maconha.

Hemp, o personagem, é o único objeto de Hemp, o filme. De família de classe média alta, ele estudou cinco anos nos EUA, de onde voltou convencido de que tudo isso aí está completamente errado. Adotou uma religião hinduísta e o consumo ritualístico dos seus baseados. Passou a viver como Henri Thoreau em sua experiência de Walden. Primeiro, numa gruta na Prainha. Agora, numa casa rústica no Alto da Boa Vista.

Pelos trechos que Cid colocou no Youtube, o doc parece um A Alma do Osso urbano e falado. A ideia é que esse comportamento supostamente defasado teria algo a ver com as atuais preocupações com a natureza, o refluxo dos mercados etc. Ainda não vi o filme inteiro. Cid quer mostrar pra todo mundo. Resta saber se consegue manter nossos olhos abertos com a fala mansa e o cotidiano pachorrento de Hemp.         

Veja trechos do filme:

Trecho 1    Trecho 2    Trecho 3    Trecho 4    Trecho 5

45 comentários sobre “O Dogma Hemp

  1. aaah pelo amor,
    por favor alguem sabe onde tem o documentario na net?

    faz mto tempo q to qrendo ja….
    vlwwww

  2. fiquei sabendo que vai rolar uma exibição pública no circo voador … alguém sabe informar a data? é verdade?

  3. parabéns,Cid! pelos trechos ja adianto, ótimo documentario! inteligência e criatividade nada supera.
    da um toque quando lançar !
    abs

  4. caue, pretendo colocar na rede. mas enquanto isso vou lutando p q o filme entre em circuito …
    já imaginou se rolar numa sala comercial … pode ser um feito e tanto, uma grande vitória p as produções de baixo orçamento, neste caso, baixíssimo.

    • Olá Cid,
      Td bem?

      Meu nome é Danielle. Estava vendo um pedaço do seu documentário e achei muito interessante.
      Eu estou com um projeto piloto de programa de tv, onde falamos sobre o Rio de Janeiro e neste primeiro vamos falar exatamente sobre a Floresta da Tijuca.
      Estamos com uma proposta de convidar o senhor para uma entrevista sobre seu documentário no nosso programa, como posso entrar em contato com o senhor e falar mais sobre o assunto?

      Meus contatos: 7101-3800/ 3271-0779 (vc fala com Bianca)
      E meu e-mail também: jornalista.rj@gmail.com

      Aguardo resposta!

      Att,
      Danielle Cristine
      Produtora Programa Panorama Carioca.

  5. muito legal.. só de fazer um doc com 800 contos você já merece parabéns, cid!
    vejo um monte de colegas que esperam editais do governo para fazerem seus filmes chatos e óbvios, enquanto você batalhou e fez algo com uma qualidade incrível.

    bota esse vídeo pra geral dar down na net.. e vai no conceito, todos juntos, sem exclusividade..

    estava afim de trocar umas idéias contigo. estou começando a produzir vídeos de baixo custo que tenham a mesma concepção. existem outros meios de conseguir grana do que do já mal gasto dinheiro público…

    sou de floripa e se caso haja exibição do doc não poderei assisti-lo, penso..
    um abraço e passa no meu blog pra dar uma olhada na produção que fiz pro meu tcc em jornalismo..

    abraço e boa sorte

  6. Não concordo que a pessoa vira um vagabundo.
    fumo todo dia e não sou um vagabundo por isso.
    A maconha em si não trás grandes problemas, porém a sua proibição e o preconceito com quem usa sim.

    Se a pessoa vira vagabunda depois de fuma é porque ela já é e não porque a erva o deixa assim.

  7. porra mauricio vc falou tudo ….sou maconheiro e sei disso ….
    maconha é bom pra curti ….mas pra fumar todo dia é foda vc vira um vagabundo sem vontade de fazer porra nenhuma ….

  8. meu comentario anterior nao foi a respeito do filme, que realmente gostaria de ver. O Hemp e um cara muito inteligente , e com uma coragem que poucos tiveram, de mandar esta mentira toda pra pqp. O meu comentario foi sobre a forte enfase que dao sobre a liberacao da maconha como se fosse algo benefico.
    Nao estou aqui tambem para defender a legalidade do alcool na nossa sociedade. O mal todo esta na forma pela qual os humanos fazem uso destes alteradores de metabolismo.
    Uma ideia que ja dei para o Hemp: Ir no programa do Jo para divulgar o filme.
    Um grande abraco e sucesso no seu filme.

    • Mauricio,
      compreendo, como eu disse em comentário anterior o Hemp é mto mais interessante que o assunto maconha.
      Qto ao programa do Jô … estamos tentando todas as possibilidades de divulgação do projeto, não tenho R$1 p gastar … conto com ajuda de todos. Se por acaso conhecer alguém da produção do programa ou qq outro veiculo de comunicação.
      Vamos juntos!

  9. A planta Hemp so e vista aqui como objeto de fumo. Acho que seria mais interessante um documentario a respeito da verdadeira razao pela qual Deus a colocou no mundo. Se fosse assim entao cha de trombeta nao teria que fazer mau algum. Me refiro a planta “trombeta” uma flor longa branca que nasce de uma trepadeira. Quando estudei na Universidade Rural do RIo de Janeiro, se houvia falar de estudantes que fizeram o tal cha de trombeta. Era uma paranoia horrivel. Eram historias de caras mordendo paralelepipido ate a boca sangrar… Nunca houvi alguem falar de uma trip saudavel quando ao efeito deste cha, porem, uma planta criada por Deus, nao eh?
    Nao estou dizendo que a Maconha e uma planta perigosa quando fumada. Mas acho que o unico prejudicado sao aqueles que as fumam. ja fumei e ate mesmo vendi uma epoca , mas acho que a minha vida ficou muito melhor sem ela. Pude focar nos meus objetivos mais claramente sem a fumaca na mente. A maioria dos que fumam , fumam para escapar dos problemas cotidianos do mundo. Acho que isso e uma abstinencia , uma fraqueza. Se acham que o mundo deve ser mudado, salvo, nao vai ser fumando, saindo da realidade que alguem o salvara. Acho a maconha uma fulga, um scape. Nem todos os maconheiros que conheci se deram mau na vida, mas muitos perderam o foco, e se retiraram da luta. Perdao meu irmao Hemp, te amo de todo o coracao irmao , mas esta e minha opiniao.

  10. Não assisti o vídeo, mas se o papo é legalizar a maconha, aí vai minha modesta opinião:

    “como pode as bebidas alcóolicas que tem tanto efeito não serem proibidas e a erva ser?” Tá, ‘peraí’! Então, a solução é legalizar tudo?? Aff
    Acredito, sinceramente, que a “erva” não cause grandes danos para mtas pessoas. Mas quem viveu e vive com uma realidade diferente dessa, em que ela traz danos, sim!, de ordem psicológica principalmente, sabe que não é bem assim… Chantagens, alterações de humor, possibilidade (grande) de “experimentar” novas drogas, conflitos familiares, pais deprimidos… garanto que não é um bom jeito de se viver!
    Ingenuidade a minha, talvez, me assustar com tanta gente apoiando a legalização. Mas, certamente, não sabem o que esse tipo de coisa em mãos (e mentes) erradas podem causar. Se proibindo, já é um problema. Imagina legalizando!! Aí, sim… Super normal… Todo mundo usando e está tudo uma maravilha…
    Lamentável que a empatia não seja uma característica presente em todas as pessoas e que pessoas com forte poder de influência sobre outras não se deem conta da sua responsabilidade com a sociedade num todo.
    Alguém vai “morrer” por não usar maconha? Acho que não… Mas e usando (mal), vai? Possivelmente…
    Se não há um investimento em educação, de modo que saibam avaliar BEM o q é bom para si ou não, acho complicado ficar se preocupando em legalizar algo nada necessário para o bem estar e que ainda pode prejudicar mtos (seja lá d q forma).

  11. estou curioso para ver o ver o filme. pelos trechos, parece trazer um lado humano bem denso combinado a uma questão ideológica, a legalização. é uma área complicada de se tocar, pois ela está, hoje, atolada por clichês. pelo que dá para ver, o filme parece fugir deles; parece que a criatividade do Cid conseguiu nos trazer algo novo. certeza disso, só vamos ter qnd virmos o filme. aguardo ansiosamente.

    parabéns ao Cid César e a todo mundo que vem tentando fazer BOM cinema com baixo orçamento no Brasil!

    e, Cid, não desiste fácil dos festivais! talvez isso o obrigue a manter o filme por um tempo na geladeira, mas pode valer à pena!!

    abraço,

    Eduardo
    São PAulo

  12. Ramom,

    eu ainda nao sei quando e como vou fazer p galera assistir, mas por mim eu coloco na internet. o q vc acha? filme é p ser visto, sobretudo na condição que foi feito.
    abs

  13. Aos poucos abrimos os olhos não para a verdade, mas para a injustiça que é a criminalização da maconha. Parabens Cid, aqui está mais um ansioso para ver seu trabalho. Abraço!

  14. Sou de Belo Horizonte e infelizmente ainda não tive a oportunidade de assistir ao vídeo inteiro. Mas já conheço um pouco da história da criação e busca pela concretização desse sonho. Uma atitude um tanto quanto ousada e íntegra que o Cid teve. Não é o fato de fazer ou não apologia ao uso da erva mas sim conhecer uma realidade que está muito mais além do que a esse mundinho que vivemos. É enxergar o tanto que a sociedade torna-se hipócrita ao se preocupar com o uso da maconha e esquecer de problemas muito maiores do que esse. É entender que existe um mundo além do consumismo desnecessário. É parar, analisar e não inverter os valores. É isso aí Cid… que você continue trazendo a público o que poucos conhecem e que muitos evitam de conhecer… E viva a diversidade não é??? Quero muito assistir ao filme completo, porque mesmo de longe, “vi” a luta, a garra, a persistência e a dedicação para criação desse vídeo.

    Um grande abraço…

  15. Cid, ainda não assisti o documentário, mas pelo video que me enviou, parece passar realmente a informação de que os homens ( bicho racional ) passa por cima da Lei divina, acho que temos de respeitar o espaço de todos, alguns são contra e muitos a favor, a minoria que governam e pré estabelecem o que devemos e o que não devemos fazer esquecem do nosso direito pessoal, fazemos o que temos vontade de fazer sem passar por cima de ninguém, se eu quiser fumar eu fumo, se eu quiser beber eu bebo e se esses hipócritas que governam o Mundo, se quiserem dar a BUNDA ! eles vão dar porque fazem tudo por debaixo dos panos, um bando de enrustidos Roubam, Matam, Mentem e não são homens o suficiente de assumir seus próprios atos, mas querem determinar os direitos dos outros, passam igual a um rolo compressor pela lei Divina, se Deus colocou essa erva no mundo e teve alguém que foi lá enrolou e fumou é porque já estava escrito, que era pra acontecer, é isso que penso cada um com seu cada um…. Valeu Irmão espero que tenha muito sucesso nessa empreitada é do interesse Nacional…rs…
    Marcelo Augusto

  16. Adorei os trechos, e apesar de não fazer uso da planta achei muito interessante, pois nos mostra q a sociedade, o país, o mundo precisa de muita ajuda realmente, e q em vez de ficar se preocupando com a erva deveria se preocupar com a fome e a miseria q temos em nosso país e que ninguém faz nada!
    como pode as bebidas alcóolicas que tem tanto efeito não serem proibidas e a erva ser? O alcool muita das vezes deixa a pessoa se sentindo um super heroi e agressivo e a erva pelo o contrario deixa a pessoa calma e pensativa, é muito mais facil ser assaltado(a) por uma pessoa alcoolizada d que uma pessoa q tenha acabado de fumar a erva q fica em paz consigo mesma.

  17. Indiscutívelmente, gostando ou não, esse assunto tem que ser trazido a tona. Corajoso e desbravador o rapaz que teve essa iniciativa de não fugir da nossa realidade. Realidade essa que era um assunto em potencial para ser debatido por nossos políticos e pensadores, hoje em dia se tornou um assunto efetivo. Vamos debater realmente sobre a Hemp ! GOSTARIA DE SABER ONDE POSSO ASSISTIR O FILME POR INTEIRO?

    • Castelo,

      Temos tantos assuntos p discutir com a sociedade, descriminalização da erva é um, para não citar outros. Mas discordo da condição de “desbravador” e “corajoso”, fiz uma coisa simples, filmei a rotina de um homem, Guilherme de Souza, o Hemp.
      Quanto assitir ao filme por inteiro, eu ainda não sei qdo vou exibir, se vou colocar na internet. O que vc acha?

  18. Os trechos estão aguçando a vontade de acompanhar o resto. O cara vive uma realidade pararela, totalmente desprendida da nossa. Isso que é o mais interessante. Ótima idéia!

  19. muito bom, pelo que eu vi nos trechos, no mínimo nos faz pensar bem a respeito,
    quero muito ver na integra….

    • Breve! Também estou doido para exibir, mas ainda não tenho uma sala disponível. Colocar na internet, na integra, tb é uma possibilidade. Ainda estou estudando o caminho. Tem sugestão?
      abs

  20. Já assisti ao documentário.
    No inicio me irritou um pouco ,mas aos poucos o Hemp me fez perceber que vivemos dentro de um caos que não existe porque . Apenas desperdício e inversão dos valores .
    A maconha ou Hemp em si é tratada apenas como um fio condutor dentro do documentário
    Sou totalmente contra o uso de drogas ,mas no contexto do Hemp acho até válido ,resta descobrir se o mundo que o HEMP prega é viável .Creio que não mais.

    • Carlos,

      Maconha ou hemp, como o personagem prefere chamar a plantinha, é apenas um tema dentro do filme. Você que já assistiu sabe que tratamos do assunto da melhor maneira possível, pq o Hemp é muito mais interessante que a Hemp.
      Ah! vc não é totalmente contra as drogas, segundo o contexto de Hemp ” uma planta não pode ser droga, Deus não faz drogas (…)”. rsrsr
      abs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s