A noite da consciência negra

UMA NOITE EM MIAMI no streaming

Um aroma de sermão ronda o ar em Uma Noite em Miami (One Night in Miami). Grande parte da peça de Kemp Powers levada à tela por Regina King é uma troca de pregações entre seus personagens reais. Cassius Clay e três amigos se reúnem para uma “festinha da vitória” em hotel de Miami na noite em que ele se tornaria campeão mundial dos pesos pesados. É 1964 e, assim como o país, Cassius, Malcolm X, o cantor Sam Cooke e o astro do futebol americano Jim Brown estão vivendo um momento de transição.

Um prólogo mostra três deles se deparando com diferentes atitudes racistas um ano antes. Malcolm cogita sair da “Nação do Islã” para fundar sua própria organização muçulmana. O futuro Muhammad Ali ainda vacila na sua conversão ao Islã, ajudado por Malcolm, a quem considera seu guia espiritual. Sam Cooke é confrontado por Malcolm por sua atitude burguesa de ganhar dinheiro compondo e cantando para brancos. Jim Brown é ironizado por estar passando para o mundo do cinema, onde viria a ser um astro da blaxploitation.

A peça tem a virtude de concentrar, num huis clos fictício, toda uma metonímia do que acontecia na relação entre cultura e política entre os negros americanos naquele momento. O arco dramático leva gradativamente os quatro amigos da confraternização brincalhona (com a decepção de não haver bebidas nem mulheres devido aos rigores de Malcolm X) a uma intensa conflagração de posturas sobre ativismo, comercialismo, vaidade, liberdade individual e responsabilidade coletiva. Cada personagem tem a hora de expor suas razões, o que torna o drama um tanto esquemático, apesar da alta qualidade do texto. Cassius Clay, o pivô do encontro, é o que tem menos a dizer.

Na adaptação, Regina King não esconde o DNA de atriz, nem o currículo de diretora de telefilmes e séries. Se ela cria uma dinâmica fluente para o teatro filmado, por outro lado não escapa da fisionomia de televisão. Uma Noite em Miami é um filme de atores, desses que atores gostam de dirigir. Está na elegância e na propriedade das interpretações o poder de capturar o público ao longo da extensa conversação.

Aquele momento da história americana, com a ascensão de uns e a iminência do martírio de Malcolm X, ressoa hoje com os assassinatos de negros, o movimento Black Lives Matter e a primavera do cinema de preto nos EUA. Apesar do tom de prédica, este é um filme que importa.

>>Uma Noite em Miami pode ser visto na Amazon Prime Video

Um comentário sobre “A noite da consciência negra

  1. Pingback: Todas as minhas resenhas do Oscar | carmattos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s