Léaud não dorme esta noite

O LEÃO DORME ESTA NOITE no streaming

Jean-Pierre Léaud é um ator de tal estatura mítica que magnetiza as atenções em qualquer filme de que participe. Ultimamente, ele tem usado sua decrepitude física (e, arrisco dizer, também mental) para fazer papéis de pessoas em estado terminal ou de demência. Assim foi no excepcional A Morte de Luís XIV, em que ele vivia os últimos suspiros do monarca. Logo em seguida, emendou com a caracterização semi-autobiográfica de Jean em O Leão Dorme Esta Noite (Le Lion est Mort ce Soir).

Aqui ele interpreta um ator de 71 anos (a sua idade na época da filmagem, 2017) com dificuldades para captar suas falas e seu timing diante da câmera. Com a interrupção de uma filmagem no interior, ele visita a casa onde morou o amor da sua juventude, morta já há muitos anos. No casarão antigo e abandonado, as duas pontas do filme vão se encontrar. Jean, assombrado com a proximidade da morte, passa a dialogar com o fantasma de sua amada Juliette (Pauline Etienne). Ao mesmo tempo, um grupo de crianças empenhadas na realização de um filme de terror descobrem a mesma locação e acabam elegendo o velho ator como seu personagem central.

Há uma certa ingenuidade nessa dualidade infância-velhice, mas é dos contatos entre as crianças e Jean que brotam os momentos mais inspirados do filme. A gradação das filmagens clandestinas do “velho maluco” para sua incorporação “oficial” ao filme de caça-fantasmas rende momentos de muita graça, alguns deles frutos de improvisações do elenco. Por outro lado, a interação entre Jean e Juliette gira no vazio de considerações vagas sobre a permanência do amor para além da vida.

O diretor Nobuhiro Suwa trabalha entre o Japão e a França, onde exercita sua paixão pela Nouvelle Vague. Ele já fez um documentário autobiográfico, H Story, que pretendia ser um remake de Hiroshima Mon Amour, de Alain Resnais. Assim, não é por acaso que Léaud, marcado para sempre pelo papel recorrente de Antoine Doinel, está ali num filme que parece se inspirar em elementos do cinema de François Truffaut: as crianças de Na Idade da Inocência, os bastidores de filmagem de A Noite Americana, o luto de O Quarto Verde.

A favor de O Leão Dorme Esta Noite cabe dizer que Nobuhiro Suwa dilui gentilmente essas inspirações no seu estilo simples e desafetado. Para além de irregularidades e déja vu, o filme conquista simpatia pela singeleza da proposta e pela espontaneidade com que os atores se entregam ao jogo lúdico das cenas.

>> O Leão Dorme Esta Noite está na plataforma Supo Mungam Plus.

Trailer legendado em espanhol:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s