Meus filmes prediletos de 2016

Hora de balanço cinéfilo. Assisti a 304 longas-metragens em 2016, englobando estreias do circuito, mostras e festivais, filmes gravados da TV, baixados na internet, vistos online, em suportes físicos ou em telinhas de avião. Como tenho feito nos últimos anos, e com base na minha preciosa tabela de filmes vistos, elejo agora os títulos que…

Melhores de 2015

De 1 de janeiro a 29 de dezembro, assisti a um total de 372 longas-metragens. Com base nesse universo, fiz minhas listas de melhores do ano, contemplando separadamente filmes de ficção e documentários, e também aqueles vistos em 2015 mas (ainda) não lançados comercialmente no município do Rio.

Melhores de 2014

Mais para cumprir a tradição cinéfila do que qualquer outra coisa, listo aqui os filmes de longa metragem que mais apreciei em 2014. Como tenho feito nos últimos anos, divido minhas escolhas em quatro grupos, separando ficções e documentários e abrangendo também aqueles vistos fora do circuito comercial. Os títulos linkados em vermelho levam aos meus…

Meus destaques de 2013

Para fechar o ano, aqui vão minhas listas pessoais dos melhores filmes vistos em 2013. Não entram os filmes mais antigos que vi ou revi durante o ano, mas somente os de produção recente, de dois anos para cá. São quatro listas envolvendo 40 filmes: ficção e documentário lançados em cinemas do Rio durante o…

Os faróis de Eduardo Escorel

Lanzmann, Marker, Farocki, Herzog, Sokurov, Forgács… Onde mais você encontraria esse time reunido a não ser na lista de filmes-faróis de Eduardo Escorel? Na semana em que lança seu novo longa, Paulo Moura – Alma Brasileira, ele atualizou suas escolhas. Leia no blog Faróis do Cinema.     .

Os faróis de Walter Carvalho

Walter Carvalho comentando Dois Homens e um Armário:  “Vi esse curta do Polanski na época em que era rato de cinemateca, nos anos 1970, numa fase de efervescência do curta-metragem. Lembro que, na saída, atravessei a passarela do MAM tomado por um misto de angústia, melancolia e triunfo. Aquilo era fascinante e ao mesmo tempo tão…

Os faróis de João Moreira Salles

“Para mim, o mais bonito filme sobre a geração dos anos 1960. Uma demonstração de como o afeto e a história pessoal abrem vistas para a grande história.” – João Moreira Salles sobre Diário de uma Busca, doc de Flávia Castro. Confira a lista atualizada dos filmes-faróis do João no blog Faróis do Cinema.

Os faróis de Carlos Alberto Prates

“A Adolescente me apresentou um diretor que eu não esperava, primeiro porque sua escrita trazia poucas lembranças do surrealismo, depois porque os enquadramentos do filme eram rigorosos e iluminados com primor por Figueroa. Mas o que me atraiu mesmo foi seu cinema sem maniqueísmos, que tentei homenagear em Cabaret Mineiro numa sequência (agora sim) surrealista, em que o…

Meus melhores de 2012

De 1º de janeiro até ontem, 27 de dezembro, assisti a 252 filmes de longa metragem. 90 foram documentários e 162 de ficção. Os filmes brasileiros totalizaram 102, contra 150 estrangeiros. Do total, 96 foram lançados comercialmente durante o ano e os restantes 156 foram vistos em mostras, festivais ou em casa. Escrevi algum tipo…

Os faróis de Karim Aïnouz

“Pelo tesão, pelo puro tesão de ver a Jane Birkin e o Joe d’Alessandro, nus, tesudos e fodendo sem parar. Tenho saudade e sinto não termos mais filmes contemporâneos com essa força, com essa coragem, com essa sensualidade”. Karim Aïnouz sobre Je t’Aime… Moi non Plus, de Serge Gainsbourg, um de seus filmes-faróis. Leia mais no blog…

Os faróis de Vicente Amorim

Sobre Tempestade de Gelo: “Delicado e violento, esse filme do Ang Lee me toca de forma especial, pois eu morei, com meus pais, num subúrbio americano não muito diferente do que é retratado no filme e na mesma época, o meio dos anos 1970 (embora eu fosse um pouco mais jovem que os personagens). A direção…

Livros como autorretratos

Na utopia arquitetônica montada no Forte de Copacabana para o evento Humanidades 2012, Bia Lessa inaugura hoje (quinta) uma Biblioteca reunida a partir das indicações bibliográficas de 120 personalidades brasileiras. Às 19 horas haverá um sarau com leitura espontânea de textos e uma palestra do físico Luís Alberto Oliveira. Quando acabar a Rio+20, a biblioteca…

Meus melhores de 2011

A pesquisadora e ensaísta Ilana Feldman lançou no Facebook a hipótese de que listas de melhores são uma diversão de homens. Ela escreveu: “Numa boa: elencar afetos é uma atividade tipicamente masculina. Um dia alguém precisa escrever a história da “cinefilia” feminina. Não haverá, pois que não há listas. (Só para feira, mercado, afazeres da…

Críticos de cinema do Rio elegem os melhores do ano

A Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro elegeu ontem (terça) os melhores filmes de 2011. Foram considerados os lançamentos em salas no Rio de Janeiro até 20 de dezembro, deixando de fora as estreias das duas próximas sextas-feiras. Após dois turnos de escrutínio e discussões, envolvendo a participação de 21 críticos, chegou-se…

Dez filmes para crianças

Ou melhor: DEZ FILMES PARA VER COM AS CRIANÇAS Helvécio Ratton, diretor do documentário O Mineiro e o Queijo, tem um interesse especial pelo cinema infantil. Ele mesmo já dirigiu três: A Dança dos Bonecos, Menino Maluquinho e Pequenas Histórias. Nesse texto inédito, apontando já para a Semana da Criança, ele destaca e comenta dez…

Os faróis do “Bigode”

“A utilização de não-atores, a deslumbrante luz de sua fotografia (somente comparável à de Gabriel Figueroa nos filmes de Buñuel, com certeza seu discípulo), a mise-en-scène despojada e que poderia vislumbrar-se no que mais tarde se convencionou chamar de naturalismo, a narrativa quase naïf, talvez numa homenagem inconsciente às pinturas de Paul Gauguin em seu…

33 vezes cinema

Meu amigo Carlos Eduardo Bacellar faz 33 anos neste sábado e eu lhe havia prometido um presente em forma de texto para o seu blog, Doidos por Cinema. Cumpri a promessa de uma maneira lúdica, como convém a nós, blogueiros vadios. Confira aqui quem gostar de filmes e de números.

Os faróis de Anna Muylaert

“Acho que minhas maiores influências, desde a época dos meus curtas até os longas, são cineastas independentes americanos como Wes Anderson e os irmãos Coen, e também Woody Allen. Talvez porque sejam cineastas que trabalham com a ironia, assim como eu. Mas Gus van Sant, por exemplo, é um mestre do estilo. É impossível não…

Os faróis de Silvio Tendler

“Inside Job mostra que o cinema está indo cada vez mais para o campo da ação política. E que esse modelo de documentário dominante no Brasil, de reproduzir o que Jonas Mekas fez nos anos 1960, está superado”. A afirmação é de Silvio Tendler, ao comentar o mais recente dos seus filmes-faróis. Conheça-os todos no site…