Perto de Obrador, longe de Bolsonaro

Malas prontas, eu e Rosane embarcamos amanhã, dia 31/12, para o México. Saímos daqui no início da tarde e, por conta do fuso horário, vamos passar a virada do ano já na Cidade do México.

Por que no último dia do ano?

Porque tudo o que eu menos queria era estar no brasil no dia da posse de Jair Bolsonaro. O que eu desejava mesmo era sair do país pelos próximos quatro anos, mas isso não é viável. O momento é de tamanha tristeza e luto que impõe uma distância considerável, se não física, ao menos de espírito. De minha parte, estarei bem longe durante os primeiros 15 dias do novo governo. De pouco adianta, eu sei, mas é um consolo mínimo que me permiti.

Por que o México?

Por duas razões. A primeira é que lá, ao contrário do brasil, tomou posse há poucos dias um governo de esquerda, coisa cada vez mais rara na América Latina e no mundo. López Obrador chegou à presidência com uma plataforma diametralmente oposta à de Bolsonaro, defendendo imigrantes, universidades e programas sociais, bem como mantendo postura crítica às medidas de Trump.

Como bem disse Joaquim Palhares, editor da Carta Maior, “o México assume neste momento o papel de esteio do desenvolvimento latino-americano que o Brasil teve com Lula, no início dos anos 2000”.

Para um turista comum como eu, é claro que a ideologia de um governo não muda nada na paisagem. Ainda assim, fato é que o coração viaja mais feliz – e isso conta tanto quanto o bom tempo e a ausência de filas.

A outra razão é que há 38 anos não vou ao México. Aquele foi o destino da minha primeira viagem ao exterior, em 1981, também com a Rosane. O México foi apenas a extensão de uma jornada de trabalho a Nova York. Era marinheiro de primeira viagem e pouco soube aproveitar a oportunidade. Desta vez, bem mais experiente, quero mergulhar melhor nos encantos mexicanos.

Uxmal

Vamos botar nossos olhos para passear nos murais de Rivera, Siqueiros, Orozco e Tamayo. Na Cidade do México, vários museus nos esperam, entre eles o celebérrimo Museu de Antropologia. Por sugestão veemente da Maria do Rosário Caetano, vamos conhecer os canais de Xoximilco, a “Veneza mexicana”. Visitaremos também Mérida, capital da província de Yucatán, com provável escala no sítio arqueológico maia de Uxmal. Entre os Maias da política brasileira e os maias da Mesoamérica, naturalmente prefiro os segundos. Nosso trajeto vai incluir, ainda, as cidades de Guanajuato e San Miguel de Allende, tesouros coloniais cheios de cores e vivacidade cultural.

San Miguel de Allende

Meus amigos no Facebook poderão acompanhar minhas postagens diárias de fotos. Compartilhar é um dos grandes prazeres das minhas viagens.

O blog não ficará completamente parado. Deixei alguns posts programados sobre filmes que vão entrar em cartaz na primeira quinzena de janeiro.

Hasta la vista!  Lula Libre!

 

4 comentários sobre “Perto de Obrador, longe de Bolsonaro

  1. Caro Carlos
    Uma de minhas primeiras experiências “fora da bolha” com a truculência que se instalou no país ocorreu em seu blog na ocasião do lançamento do filme de Olavo de Carvalho. E vi como vc enfrentou os ataques com “bravura indomita”. Desejo que o casal curta as merecidas férias e retorne forte pois mais que nunca precisamos desses oásis em nossas vidas.

  2. Carlinhos, leve nesse coração gigante a nossa profunda repulsa contra a prisão política do verdadeiro presidente do Brasil e traga dos Maias e Astecas alguma esperança para nossa terra tomada ilegalmente pelo obscurantismo evangélico. Boa viagem! Que viva México!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s