Pororoca de desgraças burguesas

TRE PIANI no streaming

Nanni Moretti dá as caras em apenas três ou quatro cenas curtas de Tre Piani, no papel de um famoso juiz. No resto do tempo, submerge na função de diretor. Mas mesmo aí, ele parece não estar muito presente. Pelo menos não com as doses de humor irônico e veneno político que caracterizam seus melhores filmes. É possível atribuir a relativa impessoalidade desse melodrama ao fato de ser o primeiro filme de Moretti adaptado de obra alheia, um romance do israelense Eshkol Nevo. Mas isso não explica tudo.

Em cada um dos três andares de um pequeno prédio em bairro tranquilo de Roma vive um núcleo familiar em processo de crise. O filho do juiz atropela fatalmente uma mulher enquanto dirigia bêbado e, condenado pela Justiça, rompe com os pais. Outro morador (Riccardo Scamarcio) fica obcecado pelo temor de que a filha pequena tenha sido abusada sexualmente por um vizinho idoso e em princípio de demência. Uma mulher (Alba Rohrwacher) dá à luz e começa a sofrer de uma perturbação mental possivelmente hereditária enquanto o marido trabalha fora de Roma.

O acúmulo de desgraças se acentua com a dor da mulher do juiz (Margherita Buy) pelo afastamento do filho, o envolvimento do pai da menina com a neta do idoso, uma adolescente sedutora e perversa (Denise Tantucci), e uma rivalidade figadal entre dois irmãos. A ação transita entre um e outro apartamento, e dali a salas de tribunal, sem que os diversos plots se alimentem mutuamente. Permanecem isolados como esses vizinhos que só se encontram nos espaços coletivos do prédio onde moram.

Tre Piani resulta com jeitão de filme multiplot antigo. Os personagens mal se sustentam em sua falta de noção sobre o que acontece à sua volta. Moretti tenta temperar o prato com algumas pitadas inesperadas, como um ataque de fascistas a um centro de apoio a imigrantes e uma cena de tango coletivo na rua. O resultado é pífio, uma vez que nada disso soma ou se relaciona organicamente com o conjunto.

Ainda assim, é louvável que a direção nunca deixe as coisas naufragarem na banalidade, mesmo quando tangenciam o absurdo (as alucinações da mãe desorientada, os recados da mulher na secretária eletrônica para o marido falecido). Sem repetir o êxito de O Quarto do Filho, seu melhor melodrama, Moretti limita-se aqui a administrar bem uma pororoca de desgraças burguesas.

>> Tre Piani está no Now.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s