Uma menina em busca de sua própria voz

HISTÓRIAS DE MENINAS no streaming

Um elenco de garotas incrivelmente espontâneas em cena e uma diretora de fina sensibilidade são os grandes trunfos de Histórias de Meninas (Las Niñas), produção espanhola vencedora de seis Prêmios Goya, incluindo os de melhor filme, direção de estreante, roteiro original e fotografia. Não creio que alguma mulher não se identifique com os dilemas da pequena Celia (Andrea Fandos, perfeita no papel) ou que pessoas de qualquer gênero não compreenda o que se passa na cabeça da menina.

Celia, 11 anos, vive em Zaragoza (nordeste da Espanha) no ano de 1992. Estuda num colégio de freiras onde aprende que a Matemática é para ter na ponta da língua, o sexo é para o casamento e filme bom é o melodrama católico Marcelino Pão e Vinho. Fora da escola, as coisas não são muito diferentes. Lendas urbanas sobre Aids assombram a consciência das virgens. Celia sofre bullying por ser filha de mãe solteira (Natalia Molina), uma mãe que guarda segredo sobre todo o resto de sua família.

Nas poucas brechas desse cercado repressivo, Celia comete pequenas trangressões com algumas colegas mais próximas, estimulada principalmente pela chegada de uma aluna mais esperta, vinda de Barcelona (Zoe Arnao). É tempo de descobrir novas bandas pop, o cigarro, a camisinha, as discotecas – e sobretudo o próprio corpo. As transformações em sua mentalidade se dão de maneira muito sutil entre as cenas de abertura e encerramento do filme, passadas no ensaio e na apresentação do coral das meninas. Celia literalmente assume a sua própria voz.

Enfim, não há nada de extraordinário nessa história de formação, a não ser o modo ao mesmo tempo delicado e agudo como é contada. Mantendo a câmera sempre muito próxima das atrizes, a diretora Pilar Palomero faz o filme “respirar” junto com elas. Daí o verismo com que se comportam, seja em grupo, seja Celia sozinha na intimidade. A equipe quase inteiramente feminina deve ter contribuído para conferir tamanha legitimidade à encenação.

Histórias de Meninas demonstra a qualidade de um cinema espanhol alheio ao circuito dominante de Madri e Barcelona. Retrata uma Espanha ainda conservadora e carola às portas do século XXI.

Nota: Sem esse filme, eu talvez jamais soubesse que em Zaragoza, no início dos anos 1990, havia uma banda de rock chamada Niños del Brasil (veja os cartazes na foto acima).

>> Histórias de Meninas está na plataforma aberta Cinema Virtual, onde se escolhe um cinema físico que receberá o valor do ingresso.

4 comentários sobre “Uma menina em busca de sua própria voz

  1. Oi, Carlinhos, tudo bem? Tentei escolher o cinema do estado do RJ, mas só encontrei como opção a cidade de Petrópolis. É isso mesmo ou fiz algo errado? Um abraço. Leninha Enviado do meu iPhone

    >

  2. Olá, meu broder Carlinhos Mattos, tudo em cima? Adorei seu vídeo de Melbourne e estou curtindo, agora, o de Sidney, ambos maravilhosos e surpreendentes, sobretudo no que concerne à incrível e multifacetada arquitetura da primeira, que eu ignorava totalmente. Desvio seus vídeos para diversos amigos meus e todos os adoram. Como tenho uma sobrinha casada, que saiu do Rio com o filhinho e o marido, há sete anos, para residir e trabalhar como anlista de sistemas numa Universidade de Sidney, já estou com coceira de ficar ali na esquina aguardando o primeiro canguru que aparecer e quiser me dar carona pra lá.

    Abração e parabéns por espalhar suas riquezas com indigentes “geraldinos”, como este escriba.

    Nelson ………….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s