Tags

Dez razões pelas quais vou participar da mobilização nacional contra o impeachment da presidente Dilma Roussef hoje (quarta, 16):

  1. Porque não há acusação jurídica que justifique a deposição de Dilma, a não ser a personalização de atos de governo que podem ferir este ou aquele preceito, mas não configuram crime, muito menos crime passível de impeachment.
  1. Porque vejo a proposta de impeachment como fruto de uma conjunção pérfida de interesses contrariados, ressentimentos acumulados em 13 anos de governo petista e ataques diuturnos de uma grande mídia que perdeu privilégios e exercita mais uma vez sua aliança recorrente com o liberalismo de direita.
  1. Porque, mesmo que tivesse algum fundo jurídico, o impeachment não tem lastro moral que o sustente. Como não ir à rua contra um processo deflagrado por vendetta de um verme político como Eduardo Cunha e apoiado por um traidor insidioso como Michel Temer, pelo oportunismo vaselinoso dos tucanos e por uma extrema direita que vê aí a chance de sair da sua caverna?
  1. Porque muito do que hoje se configura como crise – seja ela econômica ou política – é consequência de um período conturbado a nível nacional e internacional, no qual Dilma foi atacada por todos os flancos dentro do país e não desfrutou de apoio suficiente para conduzir o governo de maneira mais produtiva. Sem falar no destempero da Operação Lava-jato, que está parando diversos setores da economia.
  1. Porque um cenário pós-impeachment não ajudaria em nada o Brasil a sair de suas atuais dificuldades. Não há qualquer garantia de que, com o PMDB no poder, o país passaria por um choque de gestão e de ética. Aliás, muito pelo contrário.
  1. Porque, como disse Gregório Duvivier, o pior do PT são as suas alianças. E se perdêssemos Dilma, ficaríamos somente com as alianças. Seria a volta a tempos ainda mais sombrios.
  1. Porque nunca me juntei a quem pedia o impeachment de Itamar ou FHC, mesmo tendo sido opositor deste último, por respeito à legalidade e ao estado de direito. O caso Collor, ao contrário, foi um escândalo que implicava diretamente o presidente e ofendia seus próprios eleitores.
  1. Porque existem, sim, dois lados. Nossa vida é um constante processo de escolhas e tomadas de posição. Orgulho-me dos amigos, intelectuais, artistas, profissionais de todas as áreas e pessoas desconhecidas que escolheram o caminho da redução das desigualdades, da defesa dos direitos humanos, da cultura progressista e do estado laico. Nem todos esses estão com Dilma e o PT, mas certamente se opõem ao preconceito, ao capitalismo predatório, à brutalidade social e ao golpismo disfarçado de ação legítima.
  1. Porque sou petista e, apesar de todos os erros do partido, alguns de fato imperdoáveis, não vejo como alguém pode se aliar às manobras e artimanhas que vêm pretendendo conturbar o processo democrático.
  1. Porque a Cinelândia vai estar linda logo mais.