Oliveira e Bresson

Um bônus para quem acompanhou (ou não) a mostra de cinema português contemporâneo semana passada na Cinemateca do MAM: UM SÉCULO DE ENERGIA, o derradeiro filme de Manoel de Oliveira, um documentário curto sobre diversas formas de produção de energia. Aos 106 anos, Oliveira voltou ao seu curta “Hulha Branca”, realizado em 1932 sobre uma barragem construída por seu pai. Voltou ao filme e ao respectivo cenário, mas não ficou só nisso. Colocou músicos e dançarinas para interagirem com as imagens do velho curta numa bonita vinculação poética entre as energias da natureza e da arte. O cineasta morreu em abril de 2015 durante a finalização do filme.


No blog Pontes e Filmes, veja a sequência de QUATRO NOITES DE UM SONHADOR em que o músico brasileiro Markus Ribas passa cantando debaixo da Pont Neuf, em Paris. O filme de Robert Bresson, um dos menos conhecidos de sua carreira, é uma adaptação de “Noites Brancas”, de Dostoievski. Clique para ver.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s