Lentes sobre a Amazônia

Filmar a Amazônia é criar representações duradouras de matas, cidades, tribos e culturas que cobrem 61% do território brasileiro. É penetrar na grande reserva de vida de que o país não pode se descuidar. Meu prefácio do livro organizado por Gustavo Soranz.

Nós, os vivos

SOBRE A ETERNIDADE é mais um filme em que o sueco Roy Andersson resfria as angústias humanas, transformando-as em perplexidade ou em suavíssima comicidade.

Romance no armário

O despojamento só amplia o apelo comovente de SUK SUK – UM AMOR EM SEGREDO, história de dois senhores que se descobrem no outono de suas vidas paralelas.

Shyamalan em sua praia

Em meio a tanta bobagem e exageros de grand guignol, TEMPO (Old) me divertiu moderadamente e me fez imaginar o que essa história renderia nas mãos de um diretor menos trivial.

Carlos, que foi gauche na vida

MARIGHELLA pinta o retrato de um homem profundamente brasileiro, que reivindicava o epíteto de patriotas para si e seus companheiros de luta, e não para os meganhas da ditadura que se proclamavam como tal.