Muralhas de Dubrovnik

Bernard Shaw a chamou de “paraíso na Terra”. Para Lord Byron, era “a joia do Adriático”. De fato, Dubrovnik merece os epítetos mais entusiasmados. A cidade mais bonita e elegante da Croácia encanta por qualquer ângulo que se veja. Seja pelas “villas” margeando o mar azulíssimo, seja pelos bairros de suave requinte, e principalmente pela Cidade Velha, cercada de grossas muralhas e marcada por várias “camadas” de construções barrocas.

É numa caminhada de 360% sobre as muralhas que se descortina o melhor de Dubrovnik (pronuncia-se Dúbrovnik, com a tônica na primeira sílaba). De um lado, a profusão de telhados de terracota, só comparável à das mais belas cidades italianas antigas. De outro, a extensão azul do Adriático e um dos portos turísticos mais convidativos do mundo.

O interior da Cidade Velha é igualmente deslumbrante. As ruas pavimentadas de mármore, a partir da imponente Stradum, são ladeadas por sobrados barrocos, igrejas e fontes. Entrando-se pelas vicinais, descobrem-se recantos bucólicos, restaurantes com mesas do lado de fora, roupas dependuradas nas fachadas das casas, oratórios. Sabe aqueles lugares de que a gente tem vontade de não sair nunca mais?

Dubrovnik sofreu muito na História. Um terremoto em 1667 destruiu quase toda a arquitetura e a arte renascentistas da cidade. Restou pouca coisa além do Palácio do Reitor, que aparece no meu vídeo. Como parte do Império Austro-húngaro, no século XIX, perdeu importância social, que só recuperaria no século seguinte pelas graças do turismo. Foi atingida por cerca de 2 mil bombas durante a guerra na ex-Iugoslávia, entre 1991 e 1992. Todas as construções danificadas seriam restauradas rapidamente depois da guerra, a ponto de hoje não se notar qualquer sinal da destruição. Ao contrário da Bósnia, por exemplo, onde muitos estragos permanecem visíveis, até como memorial dos conflitos.

Eu e Rosane visitamos Dubrovnik como parte da nossa viagem à Croácia em setembro de 2014. Guiados por Irena Hunjadi e seu pai, Božidar Hunjadi, passamos quatro dias na cidade, usando-a também como base para excursões à Ilha de Korčula e à Baía de Kotor, em Montenegro. No vídeo, Dubrovnik aparece desde vários pontos de vista: na aproximação pela estrada, do alto do monte Srd, do topo das muralhas e no interior da Cidade Velha.

 

Caso interessem, aqui estão meus outros vídeos dos Balcãs:

Zagreb de A a Z
Rovinj, um Rubi no Adriático
Aquele Belo Dia em Korčula
Sentimento de Sarajevo
Mostar – História de uma Ponte 
Ljubliana (não) me Engana

3 comentários sobre “Muralhas de Dubrovnik

  1. Que refresco para um domingo insosso! Nesses tempos de uma epidemia cujo vírus mais letal não é combatido com vacinas, viajar com vocês é lembrar que existe esperança e memórias de dias e lugares mais felizes. “Sabe aqueles lugares de que a gente tem vontade de não sair nunca mais?”. Pois eu não quero nem posso sair nunca mais dessas caronas que pego em suas viagens. Texto e imagens, cores, sons… É como um óasis no deserto que estamos vivendo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s