Uma colecionadora muito inquieta

A narradora do livro A COLECIONADORA DE LENDAS, de Rosane Nicolau, é uma menina que imprime sua subjetividade nas lendas que reconta. Ela comenta, indaga-se, intromete-se nas histórias, cria finais alternativos.

De Hitler a Vargas em imagens

Quando os cinejornais do Estado Novo enfocavam a chegada de Getúlio Vargas a grandes eventos, as cenas eram perturbadoramente semelhantes ao efusivo desembarque de Hitler em Nuremberg como retratado em O Triunfo da Vontade. Esse é apenas um dos muitos exemplos de semelhança entre as imagens oficiais brasileiras da época e a estética alemã dos…

A família Brasil segundo Avellar

Pode-se dizer que o ofício regular do crítico de cinema é separar um filme do outro. No seu trabalho cotidiano de resenhar filmes, ele costuma procurar em cada obra o que lhe é próprio, peculiar, aquilo que a distingue da massa de filmes. Destaca detalhes, sonda originalidades, aponta singularidades. Digamos que ele coloca uma cerca…

Cinema de fato

Nesta terça-feira (22/11), vou lançar o meu livro CINEMA DE FATO – Anotações sobre documentário. Vai ser das 19h às 21h no Espaço Cultural Olho da Rua, um misto de galeria de arte, local de eventos, shows e performances. O endereço é Rua Bambina, 6, em Botafogo. No próximo dia 8/12 será a vez de…

“para não dizer que ficou sem título”

A casa aqui está uma pequena usina de livros. Em apenas quatro dias, dois novos serão lançados no Rio, ambos pela Editora Jaguatirica. Neste sábado, dia 19, entre 17h e 19h, a Rosane lança um livro de microcontos intitulado para não dizer que ficou sem título. Será no estande 27 da Primavera Literária do Rio…

Glauber, revisão crítica

Glauber Rocha é o cineasta brasileiro sobre quem mais se escreveu, no Brasil e no exterior. Há biografia, análises da obra sob diversos prismas, coletâneas de ensaios e de correspondência, livros sobre momentos específicos de sua carreira (como O Leão de Veneza), sem contar os vários escritos pelo próprio. Ainda assim, é preciso reservar um…

O herói e a gatinha

Livros de amigos – escrever ou não sobre eles? Como não sou crítico literário, cabe bem a pergunta. O que escrever além de comentários afetivos e cumprimentos de camaradagem? Quando ir além dessas formalidades? Dois livros que li recentemente me estimularam a ir além. Os autores são amigos queridos e pessoas envolvidas com o cinema.…

Yes, nós temos filme-ensaio 6/6

O modo Refrativo Vários filmes já abordados nos modos anteriores, como Mato Eles?, Santiago, Rocha que Voa e Brasília Segundo Feldman, filiam-se também ao modo Refrativo por tratarem diretamente ou mesmo questionarem o próprio cinema. Timothy Corrigan destaca uma característica fundamental: “Em vez de atuar como comentários artísticos, o que eu denomino cinema refrativo reconstitui…

Yes, nós temos filme-ensaio 5/6

O modo Editorial Timothy Corrigan situa os filmes-ensaio editoriais numa “herança que remonta aos sermões e avança pelos editoriais de jornais e blogs da internet”. São “investigações sobre a verdade e a ética dos acontecimentos e do comportamento contemporâneo”. Diante deles, o espectador não recebe informações organizadas nem simplesmente testemunha uma investigação, mas é estimulado…

Yes, nós temos filme-ensaio 4/6

O modo Viagem Tanto Passaporte Húngaro e 33 quanto Diário de uma Busca e 500 Almas, já citados aqui, são filmes que se realizam em grande parte como viagens de seus diretores à procura de informações, vestígios ou realizações pessoais. Timothy Corrigan cita os “encontros experienciais” nos “espaços do mundo” como os que “testam e…

Yes, nós temos filme-ensaio 3/6

O modo Diário A forma do diário e da correspondência está nas origens mesmo do ensaio literário, uma vez que ele se posiciona como uma reflexão do autor desenvolvida ao longo de determinado tempo ou dirigida a alguém. É nessa acepção diarística que Timothy Corrigan insere Rien que les Heures, os diários fílmicos de Jonas…

Yes, nós temos filme-ensaio – 2/6

O modo Retrato As dessemelhanças entre o perfil de Di Cavalcanti oferecido por Glauber Rocha em Di-Glauber e o do também pintor Carlos Oswald realizado por Régis Faria em Carlos Oswald, o Poeta da Luz podem ilustrar algumas diferenças básicas entre o filme-ensaio e o documentário stricto sensu. O filme de Régis Faria lança várias…

Yes, nós temos filme-ensaio – 1/6

Dou início hoje à publicação de um longo artigo sobre filmes ensaísticos no Brasil. Sairá em seis partes, uma a cada três dias. Introdução  A partir da leitura de O Filme-ensaio – Desde Montaigne e Depois de Marker, de Timothy Corrigan (Papirus, 2015), resolvi reunir lembranças e anotações sobre filmes brasileiros que se enquadram nessa…

Cidadão Giudice

Uma homenagem a Victor Giudice na Cinemateca Se vivo fosse, Victor Giudice (1934-1997) estaria completando hoje (domingo) 82 anos. Quem o conheceu como escritor, professor, músico, ator amador, crítico musical ou simples companheiro de ilimitado carisma, não o esquece jamais. Por isso mesmo um grupo de parentes, amigos e conhecedores da sua obra organizou uma…

Dois filmes e um livro

MACBETH: AMBIÇÃO E GUERRA é uma adaptação competente e bastante literal da peça de Shakespeare. Na maior parte do tempo, os atores simplesmente dizem o texto em tom sóbrio, distante tanto da virulência do “Macbeth” de Polanski quanto da monstruosidade expressionista da versão de Orson Welles. O Macbeth vivido por Michael Fassbender tem a frieza…

A Moviola

↑ Rogério Sganzerla, Fernando Coni Campos e Cosme Alves Netto Quando Aurélio Michiles lançou Tudo por Amor ao Cinema, eu procurei em vão por um livrinho que a viúva Glória Maria Barbosa organizou junto com Maria Luiza Tambellini em 1996, poucos meses depois da morte de Cosme Alves Netto. Intitulado Velhos Amigos, Novas Homenagens a…

Palavra de documentarista

Talvez pela proximidade com o jornalismo e as ciências humanas e sociais, o cinema documental sempre se fez acompanhar de importantes reflexões e textos teóricos produzidos pelos próprios cineastas. Em larga medida, a história das ideias nesse campo tem sido construída com base na contribuição escrita de mestres do ofício como Dziga Vertov, John Grierson, Joris…

Cinco livros de cinema

Sávio Leite, diretor da Mumia – Mostra Udigrudi Internacional de Animação, já em sua 12ª edição em Minas Gerais, é o organizador da coletânea Animação Maldita Brasileira (editora Favela É Isso Aí, BH). O volume reúne uma série de ensaios sobre a animação feita no país à margem dos circuitos mainstream. Traz ainda entrevistas com…

É Tudo Verdade News

Os premiados do É Tudo Verdade 2015: COMPETIÇÃO INTERNACIONAL Melhor Documentário Longa ou Média-­‐Metragem (Júri Oficial) A França é Nossa Pátria, de Rithy Pahn Melhor Documentário Curta-­‐Metragem (Júri Oficial) Supercondomínio, de Teresa Czepiec Menção Honrosa para Documentário Longa ou Média-­‐Metragem (Júri Oficial) Hora do Chá, de Maite Alberdi Menção Honrosa para Documentário Curta-­‐Metragem (Júri Oficial)…