Banksy e a política do grafite

A Sessão Philos desta terça, 16, (21h no Net Rio) vai exibir e debater o documentário BANKSY OCUPA NOVA YORK, de 2014. No ano anterior, o enigmático e genial Banksy (artista individual? Coletivo? Empresa? Organização?) fez uma residência de um mês em NY. A cada dia, uma obra sua aparecia de surpresa em algum ponto da cidade, gerando uma gincana entre seus admiradores por bairros e recantos alheios ao circuito de arte ou mesmo da arte de rua. Havia não apenas grafites, mas também instalações de variadas categorias. Um dos trabalhos, aliás, foi feito em colaboração com a dupla brasileira Os Gêmeos.

O filme de Chris Moukarbel para a HBO segue as pistas e alguns “caçadores de Banksy” pela cidade. A estética da edição ecoa a hiperatividade multitarefa de quem lida hoje com o acúmulo de informações. Uma espécie de pós-TV que devora tweets, outras telas e salta de um ponto a outro por um mero clique. Não há aqui um fluxo dramático central, como no memorável “Exit Through the Gift Shop”, também sobre Banksy, mas a correria dos “caçadores” e de Moukarbel atrás das obras do artista, enquanto não eram danificadas ou mesmo apagadas das paredes, atravessa uma série de questões interessantes sobre o estatuto da arte de rua.

Uma delas são os tipos de apropriação que se faz de trabalhos “sem dono”: fotografa-se, rouba-se, vende-se em galerias a despeito do autor, fazem-se intervenções diretas nas obras, destrói-se. A história do grafite em Nova York ganha uma síntese rápida, marcada pela oposição de prefeitos (uma tradição que Dória herdou bisonhamente em São Paulo) e os ataques da gentrificação. O apagamento dos famosos grafites da área de 5 Pointz é um dos lances mais tristes dessa tendência.

Outro tópico é, claro, a natureza mesmo dessa arte nascida para ser efêmera, não comercial e – quando boa de verdade – política. Tudo isso poderá ser abordado no debate pós-sessão com o curador e pesquisador Marco Antônio Teobaldo e com o coletivo Nata Família.

P.S. Na semana passada, um novo mural de Banksy apareceu da noite para o dia em Dover, Inglaterra, mostrando um homem entretido em demolir as estrelas do símbolo da União Europeia. Veja aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s