Cartier-Bresson x lei da gravidade

Diversão de domingo:

Em quatro exemplos clássicos, uma amostra de que os famosos “momentos decisivos” de Henri-Cartier Bresson muitas vezes estavam naquela fração mínima de tempo em que o modelo da foto encontrava-se suspenso no ar. A fotografia como negação da lei da gravidade, eternização do efêmero absoluto, poesia do invisível a olho nu.

Correção: conforme alertado por Cid Costa Neto, registro aqui os meus erros: a primeira foto é de Garry Winogrand e a terceira, de Elliot Erwitt.

3 comentários sobre “Cartier-Bresson x lei da gravidade

  1. A primeira foto não é do Cartier-Bresson, mas sim do Garry Winogrand. E a terceira é do
    Elliot Erwitt.

  2. Aproveite que está rolando em algumas cidades um documentário sobre o cineasta (Vittorio De Sica: meus amores, minha vida). Vale a pena! E quanto ao mestre Bresson: ele “pintava” com a câmera.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s