ÉTV: Seus Pais Voltarão

Um dia depois do Natal de 1983, um voo da Iberia fretado pelo Partido Socialista Espanhol pousou em Montevidéu levando 153 crianças de várias cidades europeias para conhecerem seus parentes. Eram filhos de exilados políticos que tomavam contato, alguns pela primeira vez, com a terra dos seus pais. Uns haviam nascido já no exílio, outros na prisão ou no calor da resistência contra a ditadura militar. Foi um momento de enorme emoção no país e de profundo significado para os pequenos “filhos do exílio”.

O documentário de Pablo Martínez Pessi recolhe memórias e reflexos do episódio na consciência de seis daqueles passageiros. São lembranças de excitação e desconforto, ternura e estranhamento. Uma criança arrancada do seu meio para o exílio tem tumultuada a construção da própria identidade. Hoje eles continuam vivendo na Europa e têm dificuldade em formar uma imagem do Uruguai e conciliar seus sentimentos de pertencimento. A ideia de família tornou-se coisa difusa, um tanto perdida entre a falta de intimidade e a queixa por seus pais terem escolhido a luta política em detrimento da proteção aos filhos. Aquela viagem de 1983, enfim, não foram exatamente umas férias.

O foco de interesse do filme é bem concentrado nas experiências individuais, deixando de lado, mais do que deveria, a logística da viagem e seu impacto sobre a política do país. Naquela época havia cerca de meio milhão de uruguaios vivendo no exílio. A ênfase nas considerações pessoais e nas cenas familiares retira bastante do relevo que o filme poderia ter se abrisse mais o arco da pesquisa sobre o momento histórico. ♦ ♦   

2 comentários sobre “ÉTV: Seus Pais Voltarão

  1. Vi ontem. Emocionou-me o filme. E gostei exatamente porque ofereceu pontos a serem olhados para além do evento político – cuja enorme força ficou com as imagens de época, tocantes. Os registros das memórias infantis idem. Surpreendem. Gostei muito! (a emoção começou com o diretor, em sua fala antes do filme, anunciar a partida de Galeano…Triste.

  2. Obrigado amigo. Infelizmente a América católica, com seus ridículos tirados, como cantava o Caetano, ainda não passou à limpo a sua história. Mas o Cinema, como outras facetas da Arte, ajuda a resgatar corações e mentes dilaceradas pelas ditaduras. Abr.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s