A imagem que fala (1)

A quarentena forçada nos está proporcionando uma intimidade inédita com as pessoas e as coisas com que dividimos nosso ambiente doméstico. É uma experiência rara de convivência por longo tempo com um número limitado de referências num cenário também limitado. Por mais que as escapadas virtuais forneçam um simulacro de interação mais ampla, quando tiramos os olhos das telas reencontramos sempre as mesmas referências.

Nessa toada, alguns lugares da casa, algumas atividades e certos objetos ganham um sentido especial que antes não tinham. Outras coisas reiteram seu papel essencial em nossas vidas, agora que estamos temporariamente fadados a tê-las por perto.

Tenho pedido a artistas amigos, principalmente das áreas de cinema e teatro, que usem sua sensibilidade para fazer uma foto de algo que tenha um significado particular no cotidiano do seu confinamento. Passo a publicá-las a partir de hoje aqui no blog, acompanhadas de eventual legenda ou descrição enviada junto com a imagem.

A primeira é de Lauro Escorel, que, por ter sido o primeiro a atender ao meu pedido, fica entronizado como padrinho desta série. Agradeço a todos os que vêm contribuindo para esse singelo compartilhamento.

O título da série é inspirado no título do filme A Imagem que Falta, de Rithy Panh.

Clique na foto se quiser vê-la em tamanho um pouco maior.

Lauro Escorel

“O isolamento de Elisa”. São Paulo, SP


Susanna Lira

Com seu cachorro Pipito. Rio de Janeiro, RJ


Joel Zito Araújo

Cabelo cortado por sua mulher, São Graça. Santa Maria, Ilha do Sal, Cabo Verde


Jordana Berg

“Minha ilha, meu mundo. Meu chez moi onde  quer que eu esteja. Atrás dessa janela tem verde. Como os nenúfares de A Espuma dos dias, do Boris Vian, em que apenas as flores salvam da doença do sufocamento. Mas só que não salvam.” Galdinópolis, RJ


Jorge Bodanzky

“Em meio à trabalheira de indexar o meu arquivo Super 8, slides, negativos e muitas fitas de diferentes formatos para serem digitalizados pelo IMS.” São Paulo, SP

 

31 comentários sobre “A imagem que fala (1)

  1. Pingback: A imagem que fala (27 – final) | carmattos

  2. Pingback: A imagem que fala (26) | carmattos

  3. Pingback: A imagem que fala (25) | carmattos

  4. Pingback: A imagem que fala (24) | carmattos

  5. Pingback: A imagem que fala (23) | carmattos

  6. Pingback: A imagem que fala (22) | carmattos

  7. Pingback: A imagem que fala (21) | carmattos

  8. Pingback: A imagem que fala (20) | carmattos

  9. Pingback: A imagem que fala (19) | carmattos

  10. Pingback: A imagem que fala (18) | carmattos

  11. Pingback: A imagem que fala (17) | carmattos

  12. Pingback: A imagem que fala (16) | carmattos

  13. Pingback: A imagem que fala (15) | carmattos

  14. Pingback: A imagem que fala (14) | carmattos

  15. Pingback: A imagem que fala (13) | carmattos

  16. Pingback: A imagem que fala (12) | carmattos

  17. Pingback: A imagem que fala (11) | carmattos

  18. Pingback: A imagem que fala (10) | carmattos

  19. Pingback: A imagem que fala (9) | carmattos

  20. Pingback: A imagem que fala (8) | carmattos

  21. Pingback: A imagem que fala (7) | carmattos

  22. Pingback: A imagem que fala (6) | carmattos

  23. Pingback: A imagem que fala (5) | carmattos

  24. Pingback: A imagem que fala (4) | carmattos

  25. Que iniciativa deliciosa Carlinhos. Tudo o que puder humanizar a quarentena é tão bemvindo!Digo sempre que temos que nos direcionar do lùcido ao lúdico. obrigada querido,beijos

  26. Pingback: A imagem que fala (3) | carmattos

  27. Pingback: A imagem que fala (2) | carmattos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s