Iván que veio de longe

Entre o Paraná e a Ucrânia não existe apenas o sentimento dos imigrantes que aqui se enraizaram desde a metade do século passado. Existe também um cineasta que transforma esse sentimento em filmes. Guto Pasko é o seu nome. Há três anos ele fez o documentário de longa metragem Made in Ucrânia, muito apreciado no sul do país. Em meio a um painel de descendentes, historiadores e cenas do cotidiano da colônia paranaense, Guto levava uma personagem à Ucrânia para conhecer parentes que nunca haviam saído da terra natal. (Leia matéria no DocBlog e veja o trailer do filme).

Em agosto último, ele repetiu a aventura, levando dessa vez outro personagem de Made in Ucrânia para rever uma irmã que não via há quase 70 anos. O emocionado reencontro se deu na cidade sulina de Mikolaiev, perto de Odessa.

O reencontro

Iván Boiko, hoje com 91 anos, foi expatriado para a Alemanha nazista em 1942 depois de se oferecer para ir no lugar da irmã mais velha, conforme as ordens do exército ocupante. Ele passou por trabalhos forçados e, em 1948, chegou ao Brasil com a mulher e a filha recém-nascida. Trabalhou por 27 anos como costureiro da Polícia Militar do Paraná e atuou na preservação da cultura ucraniana no Brasil. Fabricou a primeira bandura em terras brasileiras, instrumento musical típico da Ucrânia, e tornou-se referência nesse mister. Depois de ver Made in Ucrânia, o velho Iván resolveu confiar a Guto Pasko os seus diários, lavrados em letra miúda em pequenos cadernos de espiral.

O novo longa Iván – De Volta para o Passado vai contar tudo isso a partir de quatro eixos narrativos: a memória/história de Iván Boiko; a viagem à Ucrânia; o instrumento bandura; e uma apresentação especial da Capela de Banduristas Fialka, de Curitiba. Atualmente, Guto está às voltas com mais de 200 horas de material na ilha de edição. Para maiores detalhes sobre a trajetória de Iván Boiko e o projeto do filme, leia esta matéria da Gazeta do Povo.

Guto Pasko (canto direito) filma em Ternópil, Ucrânia

Apaixonado pelo tema da imigração, Guto Pasko tem produzido episódios de ficção para a RPCTV (a Globo do Paraná). Dois deles, já exibidos, podem ser vistos no Youtube: O Herói de Cruz Machado, sobre a saga da imigração polonesa; e O Casamento de Dalila, que aborda conflitos étnicos entre ucranianos e poloneses em Prudentópolis (PR), cidade natal do diretor.

 

4 comentários sobre “Iván que veio de longe

  1. Pingback: Paraná cinema | GP7 CINEMA

  2. Parabéns ao Guto , ele está simplesmente realizando o desejo de milhares de imigrantes: contanto suas historias , e mostrando aos brasileiros , o quanto eles valorizam essa terra de liberdade e oportunidade , sem guerras , e todos ,sem exceção , amam muito o Brasil , e se espantam com o nosso pouco patriotismo.

    Cristina Zurakowski

  3. Fico feliz por o projecto do Guto der certo, agora só precisamos que Guto consiga um bom dinheiro para realizar uma longa sobre a emigração ucraniana no Brasil.

  4. Bom saber q os paranaenses estão produzindo filmes de qualidade e com embasamento geográfico e étnico sobre a região! Talvez resto da população desperte. Parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s