Festival do Rio: Baleia a Óleo

O curta de Lísia Palombini é um bom exemplo de como se pode associar as exigências de um programa de TV com o charme de um bom documentário. BALEIA A ÓLEO traz à tona a história da pesca de baleias na Baía de Guanabara durante séculos, prática proibida somente a partir de 1987. A utilização principal era o óleo de baleia como argamassa na construção de paredes e combustível para iluminação pública nas cidades. A carne também era consumida na alimentação até pelos menos os anos 1960, pois me lembro de que um dos itens do cardápio das merendas servidas em escolas públicas do Rio era polenta com carne de baleia.

O didatismo requerido pelo assunto não está ausente do filme, tampouco o tratamento gráfico compatível com o estilo do Canal Futura. Ainda assim, a diretora logra capturar a simpatia do espectador com uma linguagem sucinta e dinâmica, além de contar com o carisma de alguns personagens, como o sempre provocativo historiador Eduardo Bueno e dois pescadores de fala cativante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s