Críticos –> cineastas –> críticos

No Meu Lugar é um filme que se define melhor pelo que não quer ser. Não quer ser filme de gênero, nem filme de arte. Não quer ser sociológico, nem político. Não quer ser um filme “representado”, nem experimental, nem linear. Não quer ser óbvio, mas também não quer ser obscuro. É um filme empenhado…

O affair Frodon

Os brios dos cineastas brasileiros foram atingidos esta semana por uma entrevista do crítico francês Jean-Michel Frodon à Folha de S. Paulo. Convidado para o júri da Mostra Internacional de Cinema de SP, Frodon, ex-colunista do Le Monde e ex-diretor da Cahiers du Cinéma, desancou a produção brasileira com palavras duras:  FOLHA – Como vai…

“Distrito 9” e a nova ficção

Nos cerca de 40 minutos iniciais está o que realmente me interessou em Distrito 9. Pois este é um filme que sobrevive da sua premissa: um contingente de alienígenas chega a Johanesburgo e é isolado pelos humanos numa espécie de acampamento de refugiados. O roteiro é hábil e sucinto na criação de uma metáfora não…

Yes, nós sabemos copiar

As montagens de Charles Moeller e Claudio Botelho estão conseguindo desmentir uma noção que pautou por muito tempo as discussões sobre o que seja a nossa identidade nacional: a incapacidade de copiar. Paulo Emílio Salles Gomes via nessa incapacidade o grande trunfo da chanchada. Como não tínhamos condições técnicas e artísticas de fazer filmes de…

Conta outra

Mentiras sinceras interessam, cantava Cazuza. Mentiras essenciais são o que importa, poetava Waly Salomão. Mas há mentiras que não são sinceras nem essenciais. São puras, deslavadas enganações. Elas surgem a todo momento, especialmente na mídia e na internet. Quantas vezes você não tem vontade de abrir a janela e gritar “Não! Isso é mentira!”. Compreendi que, de…

Enlatados

Orson Welles disse certa vez que o mal dos filmes é que eles são guardados em latas. “Nada que vem enlatado pode ser fresco”, explicou. O mestre precisaria agora recorrer a outra metáfora para sua crítica ao cinema massificado. Grande parte do que hoje se produz não passa por latas. Termina em fitas de vídeo, DVDs, HDs,…

Xô, microvida e metavida

Cotidiano tecnologizado, acesso imediato à informação, explosão das redes sociais… E a gente não consegue mais sair da frente do computador (ou desligar o celular). O grande desafio que se apresenta é: como selecionar? Desde que entrei no Twitter, senti a necessidade ainda maior de não sucumbir à avalanche da hipercomunicação. Para isso, vou consolidando…

Estranhos no continente

Em entrevista a Marilia Martins, o escritor mexicano Carlos Fuentes estranhou a distância dos brasileiros em relação ao idioma espanhol: “Existe hoje um intercâmbio intenso entre escritores dos países de língua espanhola, e não existe o mesmo com os brasileiros, que ficam isolados no continente latino-americano”. E se perguntava: “Por que os brasileiros não são incentivados a…

O céu segundo Bach

Meu saudoso amigo Victor Giudice (1934-1997) costumava chamar alguns músicos clássicos de “celestiais”. Bach, Mozart e Mendelsohn seriam “celestiais” por fazerem uma música que elevava o espírito e pairava acima das coisas do mundo. Eu, então, ficava imaginando quais seriam os “infernais”: Liszt, Wagner, Beethoven, talvez, em cujas obras faísca o fogo dos dramas e arde o mundo tormentoso das…

Seja jornalista, seja herói

Todo jornalista está comentando Intrigas de Estado. Não é para menos. Os personagens centrais são um profissional experimentado de jornal impresso e uma jovem blogueira do braço online da mesma empresa. Obrigados a trabalhar juntos numa matéria investigativa, eles começam com as implicâncias típicas de casal que acabará tendo um romance mais adiante. Mas, felizmente,…

Enfim, Neverland

As agências internacionais estão confirmando: Michael Jackson morreu esta tarde. Seria muito dizer que uma era está acabando? Ou desaparece apenas o signo que marcou uma nova era?  MJ foi o ícone mais acabado da era do simulacro completo. Foi preto e branco ao mesmo tempo, homem e mulher, gente e máquina, adulto e criança. A ambiguidade…

One way

Uma bela e simples declaração de amor: “You go your way I go your way too.” Leonard Cohen (CD The Book of Longing, de Philip Glass e Leonard Cohen)

Marker disse

Duas das melhores frases que ouvi ultimamente numa sala escura foram em filmes de Chris Marker, na recente mostra do CCBB-Rio: “Os japoneses adoram cortar coisas. E quando não têm mais o que cortar, cortam a si mesmos.”   (Vive la Baleine) “O passado é como o estrangeiro: não é questão de distância, mas de cruzar…