História de um amor imperfeito

Em MONSIEUR E MADAME ALDEMAN, Nicolas Bedos explora até que ponto uma história de amor pode absorver as crueldades, os enganos e a incorreção dos seres humanos. A promissora estreia do ator francês na direção conta os 45 anos (com interrupções) de vida em comum do casal Sarah e Victor, paralelamente à ascensão e queda da esquerda na França. Um humor ácido, às vezes impiedoso, desconstrói os chavões sentimentais sobre a família, a paternidade, o amor romântico e o sucesso literário, entre outras miudezas. Ninguém – ninguém mesmo – é merecedor de confiança absoluta nem de comiseração.

Pode-se entrever como a intimidade e o humor derrisório do casal Nicolas Bedos-Dora Tillier deve ter inspirado a história que escreveram e protagonizam. Ele com seu complexo de castração, ela com sua engenhosidade para obter o que deseja, Victor e Sarah estão longe de ser exemplares – o que faz a vivacidade e espirituosidade do filme.

Vozes narrativas se cruzam, planos objetivo e subjetivo se contradizem, prática de vida e criação literária se entrelaçam numa sucessão quase ininterrupta de diálogos espertos e pelo menos meia dúzia de gags absolutamente impagáveis. Nem tudo funciona às mil maravilhas na cronologia, com algumas progressões abruptas na caracterização do casal e uma revelação final que se choca com a lógica da exposição até ali.

Mas isso não diminui o apelo tragicômico daquela relação longeva que tanto resistiu às imperfeições do amor quanto se deixou esculpir por elas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s