Adeus ao Ocidente

ADEUS À NOITE

Os temores anti-islâmicos europeus estão na base dramatúrgica de ADEUS À NOITE. Catherine Deneuve, atuando pela oitava vez com o veterano diretor André Téchiné, traz seu aplomb de grande dama ao papel de Muriel, fazendeira que vê seu neto ser cooptado pelo Estado Islâmico. A plateia ocidental é convidada a se colocar no lugar dela e se perguntar o que faria.

Téchiné descreve com perspicácia e senso de progressão o estado do jovem Alex (Kacey Mottet Klein) depois de imerso no modo de vida fundamentalista, assim como as sutis hesitações da namorada dele (Oulaya Amamra), ligada aos recrutadores de milicianos islâmicos. O abismo entre as duas civilizações é exposto numa sequência alternada entre uma alegre refeição familiar na fazenda de Muriel e uma solene reunião em que os fanáticos mulçumanos dizem suas preces e discutem seus planos de ação para uma viagem à Síria.

Boa parte do apelo do filme se dá nas observações de comportamento, incluindo um casamento islâmico pelo skype, seguido de uma noite de núpcias muito particular. Dois personagens coadjuvantes encarnam contradições curiosas. De um lado, o líder do grupelho islâmico que transgride suas próprias regras. De outro, um combatente regenerado que Muriel contrata para tentar dissuadir o neto de seus propósitos terroristas.

O título ADEUS À NOITE se refere não somente ao eclipse lunar que abre o filme, mas principalmente à convicção de Alex de estar trocando o mundo escuro dos “infiéis” pelo primado da luz eterna do Islã. A perda precoce da mãe, o distanciamento do pai e um contencioso de repressão sexual podem estar na raiz psicológica de sua renúncia ao materialismo ocidental. Não deixa de ser uma especulação válida, mas insuficiente para explicar a frequente adesão de jovens europeus e norte-americanos ao radicalismo islâmico.

Num cenário em que a Frente Nacional ameaçava tomar o poder, no ano de 2015, Téchiné despolitiza a questão em troca de uma abordagem psicológica, guiada pela afeição e o senso de responsabilidade familiar. Ainda assim, o drama consegue ser envolvente e inquietante como o tema sugere. Não é de todo descabida uma aproximação desse filme com O Professor Substituto pelo que ambos expõem da sedução de jovens pelo fundamentalismo, ainda que um abismo separe os dois casos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s