Mostra SP: “SARS-Cov-2 / O Tempo da Pandemia”

Saúde civil

No já gordo acervo de filmes sobre/sob a pandemia Covid 19 faltava um documentário que fornecesse uma visão macro da conjuntura enfrentada pelo Brasil desde fevereiro de 2020. A lacuna está sendo coberta por SARS-CoV-2 / O Tempo da Pandemia, primeiro trabalho assinado em conjunto pelos irmãos Eduardo e Lauro Escorel. Os dois craques usam de sua proverbial sobriedade para colher as impressões de gestores da Saúde, intensivistas e enfermeiras envolvidos, em diferentes níveis, com o combate à doença. Cada um é introduzido no momento de retirar sua máscara para falar diante da câmera.

O filme tem título de relatório e patrocínio da Fundação Itaú para Educação e Cultura. Oito dos 15 entrevistados integraram o grupo formado pelo Itaú-Unibanco para planejar ações juntamente às secretarias estaduais de Saúde e direcionar uma doação de 1,2 bilhão de reais. Não era essa a intenção, mas o grupo Todos pela Saúde acabou, em muitos casos, suprindo a ausência do governo federal, o grande aliado do vírus no Brasil. Não faltam acusações de incúria, negacionismo e sabotagem por parte de Brasília, na contramão dos esforços da iniciativa privada e dos profissionais da Saúde. Alguns trechos de falas de Drauzio Varella e outros participantes do grupo mereciam ter sido anexados ao relatório da CPI da Covid.

Lauro e Eduardo evitam, tanto quanto possível, que o documentário apareça como um institucional da iniciativa dos banqueiros. O foco está tanto nas ações coordenadas pelo grupo (ampliação da testagem, fabricação de insumos, construção de fábricas de vacinas, assistência a lares de idosos, etc) como nas análises conjunturais que os especialistas foram capazes de produzir em abril e maio de 2021, quando foram feitas as filmagens. Somam-se a isso os depoimentos de sete profissionais da linha de frente em hospitais de São Paulo e Manaus.

Filmagens ilustrativas foram feitas nos dois estados, incluindo hospitais, dependências da Fiocruz, usinas de oxigênio, uma instituição de longa permanência para idosos e um cemitério.

A estrutura do filme evolui a partir do impacto inicial e do medo gerado pela pandemia, passando pela descoberta de rumos à medida que a pandemia se espalhava, a insegurança quanto aos resultados das ações pelo ineditismo da situação e a autocrítica do grupo de especialistas quanto a certas frustrações do caminho. Silenciosamente, as lágrimas de alguns perante tantas mortes evitáveis dimensionam a empatia da sociedade civil em oposição ao desprezo do presidente da República e seus asseclas pela vida da população.

Em que pese a ênfase num trabalho do setor privado, o documentário deságua numa defesa do setor público. O Todos pela Saúde atuou em parceria com o SUS, mecanismo fundamental na luta contra a desigualdade social que tanto matou nessa pandemia. Daí a importância do chamado à solidariedade de todos e à devida responsabilidade do estado.

>> Sars-Cov-2 / O Tempo da Pandemia fica disponível por apenas 4 horas a partir das 19h do dia 2 de novembro na plataforma Itaú Cultural Play.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s