Les parapluies de Shibuya

Diversão de domingo:

Quando visitei Tóquio, em 2002, parei para tomar um café no Starbucks do movimentadíssimo bairro de Shibuya. As mesas ficam no segundo andar, diante de uma parede de vidro sobre o principal cruzamento do bairro. Chovia fino, e as multidões de pedestres com seus guarda-chuvas formavam ondas em várias direções. Era espetacular. Gravei com minha MiniDV, não só do alto como também no meio da algaravia de gente e sombrinhas.

Um ano depois, era lançado o filme Encontros e Desencontros (Lost in Translation), de Sophia Coppola. Lá estava o cruzamento de Shibuya, filmado justamente do janelão do Starbucks. Desde então, essas tomadas viraram um must dos videoturistas, como se pode ver no Youtube. Mas as minhas foram pioneiras, pelo menos em relação às de Sophia.

O título é uma referência a Les Parapluies de Cherbourg (Os Guarda-chuvas do Amor), de Jacques Demy (1964). A trilha sonora vem da compilação usada na montagem de Os Sete Afluentes do Rio Ota por Monique Gardenberg.  

Um comentário sobre “Les parapluies de Shibuya

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s