Cidades Fantasmas

Assim como existe um turismo especializado em ruínas, há também um cinema dedicado a elas. O português Ruínas, de Manoel Mozos, e o alemão Homo Sapiens, de Nikolaus Geyrhalter, são exemplos recentes de filmes sobre lugares e construções abandonadas, habitadas apenas por memórias. A esse grupo vem se juntar Cidades Fantasmas, do gaúcho Tyrell Spencer.

São quatro cidades desabitadas em função de ciclos econômicos encerrados ou de tragédias devastadoras. Humberstone, no Chile, era um importante pólo de extração de salitre até meados do século passado, quando entrou em decadência. Fordlândia, antigo projeto de Henry Ford para produção de látex no Pará, não é exatamente uma cidade fantasma, já que conta com mais de 1.000 moradores, mas mantém vastas áreas abandonadas. Armero, na Colômbia, foi vítima do maior desastre da história daquele país, a erupção do vulcão Nevado del Ruiz, que matou mais de 20.000 habitantes. Por fim, a estação de águas do Lago Epecuén, na Argentina, ficou submersa por uma inundação durante cerca de 20 anos, quando a água evaporou e as ruínas vieram à tona.

Tyrell Spencer visita esses lugares com uma câmera sempre móvel, em busca de enquadramentos sugestivos de uma certa beleza do abandono. Uma beleza triste, imersa num silêncio só quebrado pelo ruído das aves e a voz calma ou emocionada de antigos habitantes. Eles recordam os tempos de atividade e a maneira como tudo terminou. Entre os casos mais pungentes estão a despedida entre um pai e uma filha em Humberstone, a resistência de um ocupante pioneiro da “Vila Americana” evacuada em Fordlândia, a descrição de uma terrível tragédia familiar na avalanche de lama em Armero e o velho morador que ficou em Epecuén e se transformou em testemunha da história.

Os cemitérios de cada cidade contariam histórias sem fim, e o de Humberstone é completamente singular – um cemitério de madeira à beira-mar. O de Armero seria muito maior se os sobreviventes tivessem logrado encontrar os corpos de seus parentes consumidos pelo vômito do vulcão.

Cidades Fantasmas é uma suíte meditativa e um tanto lúgubre sobre infortúnios, negligência governamental e feridas da América Latina. A estrutura em quatro atos não disfarça a vocação para minissérie, formato em que chegará ao Canal Brasil ainda este ano.

4 comentários sobre “Cidades Fantasmas

  1. Pingback: Destaques nas mostras documentais: É Tudo Verdade, Punto de Vista, CPH:DOX, Cinema du Réel, Visions du Réel e FIDMarseille |

  2. Achei o filme com um mote interessante, mas como vários trabalhos de teses aínda em fase de relatório. Ou seja, um excelente levantamento, mas com pouca articulação. Faltam as mediações! Agora colocar no Canal Brasil com capítulos talvez seja uma boa exibição para um público amplo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s