La Loca e seu “príncipe”

TENHO MEDO TOUREIRO no streaming

O escritor, artista plástico e performer chileno Pedro Lemebel (1952-2015) foi um militante comunista e homossexual que assim reuniu duas formas de contestação à ditadura de Pinochet. Numa obra composta por crônicas, seu único romance, em parte autobiográfico, foi agora levado às telas com o título homônimo Tenho Medo Toureiro (Tengo Miedo Torero). No livro e no filme, é possível interpretar que Lemebel dividiu sua personalidade em duas.

Uma delas é La Loca del Frente, travesti solitária e já passada em anos, que faz bordados por encomenda de famílias de militares. A outra é o guerrilheiro mexicano Carlos, envolvido com um grupo de ativistas anti-Pinochet. Os dois se encontram fortuitamente durante uma batida policial em 1986 e iniciam uma ligação mista de afeto e oportunismo. A casa de La Loca se torna um “aparelho” para o grupo de Carlos, daí resultando situações típicas da interação entre dois mundos tão opostos.

“Se um dia fizerem uma revolução que inclua as bichas loucas, me avise e estarei na primeira fila”, diz ela, enquanto tenta se aproximar do seu “príncipe” relutante. Para isso, até troca o “ponto” à frente de um cinema pornô por colaborações arriscadas com uma operação dos guerrilheiros. O fato de ser usada por Carlos não a impede de alimentar suas patéticas expectativas amorosas.

__________________________________________
Apoie a websérie Na Real_Virtual
https://www.catarse.me/webserienarealvirtual
__________________________________________

Tenho Medo Toureiro tem clima de bolerão underground e lembra, em seus melhores momentos, o brasileiro Inferninho. O ator Alfredo Castro (Tony Manero, No, O Clube) faz uma composição divertidíssima como La Loca, esmerada nos mínimos detalhes de corpo e de voz, mas não consegue evitar alguns excessos de caricatura. O filme tampouco consolida uma química plausível entre La Loca e Carlos (Leonardo Ortizgris). A aproximação entre os dois soa arbitrária e um tanto perdida na indefinição.

O diretor Rodrigo Sepúlveda Urzúa assumiu o ato performático como parte indissolúvel da narrativa. Assim, La Loca e seus poucos amigos irrompem em cantos e meneios com a liberdade dos filmes musicais. É divertido e um tanto triste ao mesmo tempo.

>> Tenho Medo Toureiro está na Amazon Prime Video

Trailer legendado em inglês:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s