O vento mora em Torres del Paine

Em janeiro de 2007 fui conhecer o Fim do Mundo. Essa é uma das maneiras como os argentinos se referem ao seu lado da Patagônia, especialmente a Ushuaia, a cidade mais austral do planeta. A região, também conhecida como Tierra del Fuego, é linda à sua maneira rústica e gélida. Mas uma viagem àqueles extremos não fica completa se não incluirmos a Patagônia chilena. É onde fica o parque Torres del Paine, um dos lugares mais deslumbrantes do Hemisfério Sul.

Eu e Rosane conhecemos o parque num passeio de um dia, saindo do nosso hotel em Puerto Natales. No caminho, paramos na gigantesca e soturna Cueva del Milodon, local onde foi encontrado o fóssil do milodonte, único mamífero que habitou exclusivamente a região patagônica há cerca de 12 mil anos. Uma réplica em tamanho natural do bichão dá as boas vindas na entrada.

Depois de passarmos por estâncias repousadas no sopé da serra, cruzando pelo caminho com guanacos, ñandus, huemuls e condores, chegamos finalmente ao parque. Àquela altura já estávamos tomados pela beleza do panorama de lagos e montanhas. Os azulíssimos Lagos Sarmiento e Pehoe contrastam com o cinza enigmático da Laguna Amarga – que, apesar do nome, é salgadíssima.

A cachoeira Salto Grande é outro ponto alto da jornada. Desde o mirante, a vista é maravilhosa, cobrindo o Lago Nordenskjöld e as montanhas nevadas ao redor. As águas do rio Paine desabam ali com fragor e, dependendo da direção do vento, formam um arco-íris no ar. O vento, aliás, é um companheiro fiel do turista em boa parte do trajeto, sendo que no Salto Grande ele é particularmente agitado.

Por fim, atingimos o Lago Grey, situado entre uma imensa faixa de areia cinzenta e uma geleira que expele uma sopa de gelo absolutamente fascinante.

No caminho de volta a Puerto Natales, novas vistas do Maciço del Paine enchem nossos olhos com sua majestosa serenidade.

Vejam o vídeo, que tem músicas de Gustavo Santaolalla:

4 comentários sobre “O vento mora em Torres del Paine

  1. lindo o vídeo. me conduziu para lá, Maravilhoso ver essa paisagem de proporções gigantescas e beleza incomparável com as pessoas ao longe, o que me levou a pensar na nossa dimensão humana, diante da natureza. e ver o capim, perfeito e grandioso na dança com o vento! muito bom sentir também o clima das pessoas na viagem. Parabéns pelo olhar poético e a escolha da música.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s