O assustador e o corriqueiro

Sobre CORRA! e MÁS NOTÍCIAS PARA O SR. MARS –

A falácia, muito comum nos EUA como no Brasil, de que empregados domésticos são tratados como “gente da família” ganha uma versão envenenada no thriller CORRA! (Get Out), de Jordan Peele, um dos autores mais peculiares do canal Comedy Central. A situação inicial se assemelha à de Adivinhe Quem Vem para Jantar. A gatinha branca leva o namorado negro à casa de sua família pela primeira vez. Ele é recebido com um misto de aceitação efusiva e arrogância liberal. Mas, desde antes mesmo da chegada, as coisas soam inquietantes demais. Estamos bem longe de uma simples comédia romântica sobre racismo.

CORRA! tem sido celebrado como uma novidade no campo do cinema de gênero americano. Há mesmo uma instigante mistura de comédia, terror e comentário social. Os contatos do fotógrafo Chris com os parentes da namorada, seus amigos e empregados vão ficando cada vez mais assustadores. Jordan Peele não economiza recursos para isso. Hipnose, trauma psicológico e aparições repentinas são apenas o início de uma progressão no rumo do absurdo. É aí que o filme perde um pouco de sua força, ao desaguar numa trama mirabolante, mais afeita ao gosto adolescente.

A afetação exagerada das interpretações e do estilo da direção surtiu em mim um efeito contraditório: ao mesmo tempo que garantia o envolvimento pelo suspense quase gótico, gerava um distanciamento pelo artificialismo. CORRA! não se preocupa com sutilezas. Quer escancarar uma metáfora sobre a objetificação social e sexual dos negros, mesmo que para isso flerte com o exagero e arrisque sua eficácia como análise social.



A comédia MÁS NOTÍCIAS PARA O SENHOR MARS descansa em cima de um plot corriqueiro: o homem comum às voltas com obrigações domésticas inesperadas e alguns malucos que surgem em sua vida. É o que acontece com Philippe Mars, funcionário adepto da moderação e viciado em normalidade. A mulher viaja e ele precisa ficar com os filhos adolescentes. No trabalho, um novo colega põe sua vida de pernas para o ar. Todos questionam seus padrões, até mesmo os pais já falecidos.

Os atores são ótimos, tudo é burocraticamente amável, mas é também inevitável a impressão de que o tempo dessa comédia já passou. Piadas sobre vegetarianismo, conflito geracional e gente maluquete teriam que ser muito repaginadas para ainda serem engraçadas. Há boas gags verbais aqui e ali, é certo. O equilíbrio de Philippe se rompe numa cena surpreendente com o cachorrinho da irmã. Isso, contudo, é pouco para alçar o filme além de um divertimento simpático e convencional.

2 comentários sobre “O assustador e o corriqueiro

  1. “Corra” é isso mesmo. E é uma pena. O sarcasmo poderia aumentar de volume, mas o diretor não teve coragem. Embrenhou num filme de horror teen. Poderia ter usado o arco do humor em estágios no filme até desembocar no grotesco. Mas…aí teria que ser Pasolini.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s