Paixão por documentário

Minissérie O MÉTODO estreia no Canal Curta! com reflexões de Carlos Nader e Eduardo Coutinho sobre fazer documentários

Carlos Nader

O documentarista e ex-videoartista Carlos Nader é o único cineasta que já venceu três vezes a competição nacional do Festival É Tudo Verdade, com Pan-Cinema Permanente, Homem Comum e A Paixão de JL. Tanto quanto fazer, Nader gosta de pensar o documentário. Resultado disso tem sido sua atividade como professor em cursos livres sobre o assunto. Um pouco desse conhecimento e das ideias aclaradoras de Nader estão na minissérie O Método, que estreia nesta quarta-feira no Canal Curta!

Eduardo Coutinho

São quatro episódios de cerca de 30 minutos, dirigidos por Liliana Sulzbach e tendo Nader como expositor. O natural didatismo de um projeto como esse vem temperado pela paixão vital com que o documentarista se refere ao seu ofício. Não à toa, o primeiro episódio, dedicado à relação entre documentário e ficção, começa com Nader fazendo uma profissão de fé no cinema e na vida. Desde o início, ele situa logo Eduardo Coutinho como mestre, referência e ao mesmo tempo contraponto, uma vez que os métodos dos dois são radicalmente distintos. Mas a admiração pelo autor de Cabra Marcado para Morrer o levou a entrevistá-lo extensivamente em 2013 no longa Eduardo Coutinho, 7 de Outubro.

Trocando bola com Coutinho, Wally Salomão, um pouco de Lumière e Vertov, e o seu próprio curta O Fim da Viagem (1996), Nader explora as noções de realidade, verdade, encenação e máscaras – todas fundamentais para o documentário. Sai-se com um luminoso achado etimológico: ficção vem do latim fingere, que não é exatamente fingir, mas dar forma. Logo, diz Nader, documentar é dar forma à realidade (através da atribuição de uma linguagem, como diz no segundo episódio). Todo filme seria, assim, em última instância, uma ficção.

No segundo episódio, dedicado à linguagem, ele passa pela essencialização no cinema de Coutinho (“o João Gilberto do documentário”) e pela sua própria trilogia de “documentários sobre sensações”, composta pelos vídeos Trovoada, Carlos Nader e Concepção. Aborda, ainda, Homem Comum, que sintetiza 20 anos de convivência com o caminhoneiro Nilson de Paula. Ao falar da sua busca pelo rigor e a coerência, reafirma o compromisso com filmes que tratem da complexidade do mundo. Nader não esconde que está passando sua visão pessoal em detrimento de uma “visão geral” do documentário.

Glenn Greenwald

O terceiro episódio é o que mais se abre para universo um tanto alheio à experiência do realizador. Analisa o modelo do documentário de investigação, contando com depoimentos de Glenn Greenwald sobre Edward Snowden e o oscarizado Citizen Four, de Laura Poitras. A conversa, da qual participa também o teórico Bill Nichols, versa sobre ética e os riscos e desafios da investigação. Da História, passa-se a discutir a história, ou seja, a capacidade do documentarista de transformar o assunto num relato coerente e de interesse. É quando Nader comenta seus procedimentos ao lidar com o diário e a obra de José Leonilson em A Paixão de JL.

Por fim, o último episódio retoma Coutinho para abordar questões de autoria, lugar de fala e presença do diretor dentro do filme. As opiniões de Nader são aqui bastante provocativas, assim como as falas que Liliana Sulzbach selecionou do material inédito de uma entrevista com Coutinho para um filme que ela mesma produziu em 2019, também chamado O Método. Entre considerações sobre suas normas de conduta, ao dispensar a estética em nome do acaso da filmagem,  Coutinho lança um de seus típicos mísseis demolidores: “A beleza e a harmonia me horrorizam”. Carlos Nader não chega a tanto, mas certamente também coloca a invenção e a precisão acima do beletrismo documental. Questão de método.

Exibições no Canal Curta! sempre às 22h:
Episódio 1 O Real e a Ficção: 26.05
Episódio 2 A Linguagem: 02.06
Episódio 3 A Ética e a História: 09.06
Episódio 4 O Autor e a Obra: 16.06

2 comentários sobre “Paixão por documentário

  1. Documentário é minha preferência, e o que de melhor vem sendo feito no Cinema Brasileiro contemporâneo . Esta Minissérie O MÉTODO que estreia no Canal Curta, é um presente dos Deuses. Imperdível.

Deixe uma resposta para Heloisa A M C Gomes Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s