O valor de um professor

A FELICIDADE DAS PEQUENAS COISAS no streaming

Um raro longa-metragem do Butão tem emocionado plateias pelo mundo afora e chega como um dos favoritos ao Oscar de filme internacional. É A Felicidade das Pequenas Coisas (Lunana: A Yak in the Classroom), história de um jovem professor em crise vocacional. Enquanto completa o período de serviço obrigatório no ensino público e espera um visto para tentar carreira de cantor na Austrália, Ugyen (Sherab Dorji) é enviado para uma escola nos altos Himalaias. Para chegar à aldeia de Lunana, são oito dias de caminhada a partir da cidade mais próxima, quando a altitude vai aumentando à medida que o número de habitantes vai caindo. Lunana tem apenas 56 almas, entre pastores de iaques (uma espécie de búfalo daquela região) e coletores de fungos. A energia elétrica é precária, e papel higiênico é tido como um luxo. A escola é tão rústica que não tem sequer quadro-negro e cadernos.

Pelo tipo de dramaturgia utilizada desde o início, não é difícil prever que Ugyen vai superar seus achaques iniciais com a diferença entre seus hábitos e cultura citadinos e a vida rudimentar e o pensamento mítico dos aldeões. O diretor Pawo Choyning Dorji adota um estilo claro e simples, com imagens luminosas que destacam as belas paisagens dos Himalaias como uma espécie de conforto diante das muitas carências.

As três estações vividas em Lunana, em meio a crianças adoráveis, ensinam ao professorzinho arrogante e desmotivado o valor de sua profissão e o poder do afeto, levando-o a se conectar com uma camada profunda de si mesmo. Com um belo desfecho razoavelmente aberto, o filme cumpre seu papel de “feel good movie” para consumo universal sem perder o vínculo com a cosmogonia butanesa.

>> A Felicidade das Pequenas Coisas está na plataforma Belas Artes à la Carte e, a partir de 30/3, também no Now. 

>>> Leia sobre outros indicados ao Oscar de filme internacional: A Mão de Deus / Drive My Car / Fuga / A Pior Pessoa do Mundo.

Um comentário sobre “O valor de um professor

  1. Pingback: Oscars: o que escrevi sobre os indicados | carmattos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s